Fugitivos animam 5ª e última etapa da Volta ao Algarve

Um grupo de fugitivos com perto de 30 ciclistas, onde estavam representadas todas as principais equipas, levava cerca de 2 […]

Um grupo de fugitivos com perto de 30 ciclistas, onde estavam representadas todas as principais equipas, levava cerca de 2 minutos e 30 segundos de vantagem para o pelotão, à passagem por Loulé (km 30,5), nesta que é a 5ª e última etapa da Volta ao Algarve 2018.

À passagem por Loulé, rolava-se a uma média superior as 50km/h, nesta tirada de 173,5 km, que partiu de Faro e termina no alto do Malhão (interior de Loulé).

Hoje é o dia em que o britânico Geraint Thomas procura confirmar a sua terceira vitória na Volta ao Algarve em bicicleta.

À partida para a derradeira tirada, Thomas, vencedor em 2015 e 2016, tinha 19 segundos de avanço sobre o polaco Michal Kwiatkowski, seu colega de equipa, e 32 sobre o português Nelson Oliveira (Movistar).

As dificuldades da etapa começam ao quilómetro 63, com uma primeira contagem de terceira categoria em Picota, com os ciclistas a terem mais uma subida de semelhante dificuldade, aos 99,6 quilómetros, no Miradouro do Alto da Ameixeira.

Começam depois as maiores dificuldades da etapa com a primeira passagem, aos 132,6 quilómetros, pelo Alto do Malhão, pequena ascensão de segunda categoria de 2,8 quilómetros, mas com uma inclinação média de 8,9%.

Antes da subida final, os ciclistas ainda terão mais uma subida de terceira categoria, em Vermelhos, a pouco mais de 20 quilómetros do final.

 

Fotos: Helder Romão

Comentários

pub
pub