Câmara de Portimão dá apoio de 480 mil euros a entidades ligadas à Proteção Civil

A Câmara de Portimão vai destinar 480 mil euros ao apoio a entidades concelhias, para ações na área da Proteção […]

A Câmara de Portimão vai destinar 480 mil euros ao apoio a entidades concelhias, para ações na área da Proteção Civil. O grosso desta verba, 450 mil euros, destina-se à Associação Humanitária de Bombeiros Voluntários de Portimão, mas o apoio também irá chegar à Cruz Vermelha e aos Escutas, que vão receber 25 mil e 5 mil euros, respetivamente.

A autarquia portimonense aproveitou a visita ao concelho de Eduardo Cabrita, ministro da Administração Interna, e de três secretários de Estado do Governo, ontem, segunda-feira, para desenvolver uma jornada de trabalho e um périplo por estruturas ligadas à Proteção Civil,em  Portimão.

A presença dos membros do Governo também foi aproveitada para assinar protocolos de colaboração nesta área com três entidades.

No caso dos Bombeiros Voluntários, a verba para 2018 foi reforçada em 50 mil euros, em relação ao ano que passou. O contrato-programa assinado «assegura assim um dispositivo multidisciplinar para operações de proteção e socorro, ao longo das 24 horas, para materializar o primeiro alarme nas diversas vertentes do socorro, com elevado grau de prontidão, devidamente preparado e dotado de meios técnicos apropriados», segundo a Câmara portimonense.

Já o acordo com a Cruz Vermelha de Portimão, com uma verba de 25 mil euros associada, «prevê a manutenção de uma força mínima em reação ao estado de alerta especial e à qualificação dos recursos humanos no reforço da capacidade de resposta e mobilização em operações de proteção civil e socorro».

Os Escutas portimonenses também recebem um apoio, neste caso de 5 mil euros, no sentido de assegurar «a capacidade de preparação e transporte do apoio alimentar para os operacionais empenhados em operações de proteção e socorro bem como uma reserva permanente de kits individuais de emergência».

Este «trabalho em rede», defendeu na ocasião a presidente da Câmara de Portimão Isilda Gomes, é um dos pontos fortes do sistema de proteção civil do concelho. «Enquanto a base da pirâmide não estiver totalmente capacitada não existe uma Proteção Civil sustentável», defendeu a autarca, que assegurou que Portimão «tem o trabalho de casa feito» nesta matéria.

Uma visão partilhada por Eduardo Cabrita, que, segundo a Câmara de Portimão, «enalteceu a forma exemplar como está organizada e a dinâmica da Proteção Civil Municipal em Portimão, sendo um modelo a seguir».

A comitiva governamental teve a oportunidade de ir para o terreno, onde acompanhou iniciativas de limpeza do espaço rural e uma ação de treino operacional no âmbito do combate a um incêndio florestal, entre outras. No final, o agrupamento de Portimão do Corpo Nacional de Escutas fez um teste à capacidade logística da unidade de apoio alimentar, confecionando refeições que os membros do Governo e outras 150 pessoas tiveram a oportunidade de provar.

Fotos: Câmara de Portimão

Comentários

pub
pub