Presidente da RTA exige ao Governo que melhore «estado de saúde do Algarve»

Desidério Silva, presidente da Região de Turismo do Algarve (RTA), apelou, numa carta enviada a Adalberto Campos Fernandes, ministro da […]

Urgência do Hospital de Faro no dia 8 de Janeiro

Desidério Silva, presidente da Região de Turismo do Algarve (RTA), apelou, numa carta enviada a Adalberto Campos Fernandes, ministro da Saúde, a que se resolva «de imediato o estado dos serviços de saúde no Algarve».

Desidério Silva

Na missiva, o presidente da RTA aponta os relatos de como «estão a ser tratadas as pessoas (residentes e turistas) sobretudo as mais idosas, que recorrem aos serviços de urgência dos Hospitais do Algarve e particularmente o de Faro».

Quer a insuficiência, quer a deficiente qualidade dos «serviços hospitalares e de saúde da região, além de lamentáveis, provocam, em residentes e turistas, desconfianças e receios quanto à capacidade de resposta quando as pessoas precisam de aceder de urgência a esses serviços», considera Desidério Silva.

Por isso, aquele responsável defende que «se está a pôr em causa» o próprio Algarve, «destino turístico de excelência», premiado mundialmente, e «cujas receitas contribuem substancialmente para a riqueza do país».

Além disto, a situação verifica-se «num momento em que mercados de turismo concorrentes estão a recuperar, ameaçando os fluxos de turismo para o Algarve», diz.

Desidério Silva afirma que a sua reivindicação é feita «principalmente pelo direito fundamental de algarvios e visitantes» a serviços de saúde humanos e eficientes que atentem «particularmente nas necessidades dos mais carenciados e desprotegidos».

Entretanto, Ana Paula Gonçalves, presidente do Conselho de Administração do Centro Hospitalar e Universitário do Algarve (CHUA), garantiu, ao Sul Informação, que os hospitais algarvios vão receber novos enfermeiros e que serão disponibilizadas mais camas para internamento.

Comentários

pub
pub