Câmara de Faro reconhece interesse histórico e cultural d’Os Artistas

A Câmara de Faro reconheceu a Sociedade Recreativa Artística Farense (SRAF), também conhecida por “Os Artistas”, como entidade de interesse […]

A Câmara de Faro reconheceu a Sociedade Recreativa Artística Farense (SRAF), também conhecida por “Os Artistas”, como entidade de interesse histórico e cultural. Esta decisão, aprovada por unanimidade em Reunião de Câmara, está agora sujeita a  consulta pública pelo período de 20 dias.

Este reconhecimento acontece no seguimento de um requerimento apresentado pela própria SRAF.

Segundo a Câmara de Faro, este pedido assentou numa lei publicada em Junho, que «veio estabelecer o regime de reconhecimento e proteção de estabelecimentos e entidades de interesse histórico e cultural ou social local».

«Após análise efetuada pela autarquia, verificou-se o cumprimento dos critérios previstos na referida lei, tornando a Sociedade Recreativa Artística Farense merecedora do estatuto», acrescentou a autarquia.

A SRAF foi fundada em 1906 pelo Montepio dos Artistas de Faro, entidade que prestava aos seus associados, artesãos e artífices, «diversos serviços sociais e de solidariedade, tais como assistência médica a preços económicos, pensões de morte e invalidez».

«Em 1906, o Montepio dos Artistas sentiu necessidade de proporcionar aos seus associados outras atividades ligadas à cultura e ao recreio, fundando então a Sociedade Recreativa Artística Farense, cedendo-lhes parte das instalações (1º andar do nº 10 da Rua do Montepio)», recordou a Câmara de Faro.

A SRAF passou a promover eventos de teatro, canto, dança, música, literatura e cinema. «Para além destas, sempre se organizaram festas, convívios e reuniões sociais neste espaço. Reunia artesãos e artífices do concelho e tinha uma vertente eminentemente popular, em contraponto aos mais exclusivos Club Farense e Ginásio Clube de Faro», acrescentou a autarquia.

Mais recentemente, e após um período de menor dinamismo, a sociedade reinventou-se e tornou-se um local de referência no panorama cultural da capital algarvia, graças a atividades que dinamizou – e continua a dinamizar – com regularidade em domínios como a música, as artes performativas, ensino de dança, exposições e conferências, entre outros.

Em 2006, a Câmara de Faro atribuiu a esta associação a Medalha de Mérito Municipal – Grau Ouro. Em 2010, a SRAF conquistou o estatuto de pessoa coletiva de utilidade pública.

Comentários

pub
pub