Centro Ciência Viva de Lagos participa na Cimeira Mundial de Museus e Centros de Ciência em Tóquio

​O Centro Ciência Viva (CCV) de Lagos participa na Science Centre World Summit que se realiza no Museu Miraikan (Museu […]

O Centro Ciência Viva (CCV) de Lagos participa na Science Centre World Summit que se realiza no Museu Miraikan (Museu da Ciência e da Inovação), em Tóquio, entre os dias 15 e 17 de Novembro.

O tema desta cimeira, que se realiza a cada três anos, tem como objetivo reunir profissionais de Museus e Centros de Ciência, sendo o tema desta edição a promoção das relações mundiais para um futuro sustentável.

A representação do CCV Lagos está a cargo do seu diretor executivo, Luís Azevedo Rodrigues, que, além de participar no Fórum de Diretores de Centros e Museus de Ciência, hoje, dia 14, irá igualmente apresentar o trabalho que o Centro tem realizado junto da comunidade sénior, por intermédio do seu programa A Ciência Não Tem Idade.

A comunicação “Senior Citizens and Science Centres – New Opportunities for Old Schoolers” integra a sessão dedicada ao Envolvimento de Vários Públicos, uma das várias sessões temáticas nesta Cimeira Mundial. Além do CCV Lagos, esta sessão integrará profissionais dos EUA, África do Sul, Japão Tailândia.

O Centro Ciência Viva de Lagos publicou esta semana, na revista “Spokes” da Ecsite, a maior associação de Museus e Centros de Ciência da Europa, um artigo de análise do trabalho de comunicação de Ciência para cidadãos seniores.

Ciência para seniores no CCV Lagos

Apresentando o trabalho realizado pelo CCV nos concelhos de Lagos e Silves, este artigo de fundo faz ainda uma revisão de necessidades e oportunidades da chamada “Revolução da Longevidade”, alteração demográfica que se verifica a nível mundial, e da carência de se investir e trabalhar em comunicação de Ciência e tecnologia junto da comunidade sénior.

Para lá desta incumbência social, de incrementar a literacia científica, nomeadamente a literacia da saúde, o artigo, da autoria de Luís Azevedo Rodrigues e Sara Mira, ambos do CCV Lagos, salienta também a janela de oportunidade que esta crescente faixa de consumidores poderá representar para muitas atividades económicas, no âmbito da chamada “Silver Economy” (Economia Prateada), nomeadamente as atividades culturais e científicas que são as desenvolvidas pelos Museus e Centros de Ciência.

Luís Azevedo Rodrigues com o presidente do Museu Miraikan e que foi o primeiro astronauta japonês

Comentários

pub
pub