Vinhos do Algarve apostam forte no mercado de Lisboa

Os vinhos do Algarve regressaram ao Mercado de Vinhos na Praça de Touros, no Campo Pequeno, em Lisboa, entre 20 […]

Os vinhos do Algarve regressaram ao Mercado de Vinhos na Praça de Touros, no Campo Pequeno, em Lisboa, entre 20 e 22 de Outubro, na sexta edição daquela iniciativa que desta vez teve como mote «Pequenos produtores, Grandes descobertas».

Foi o regresso a este certame de promoção do vinho na capital portuguesa, depois do sucesso do ano passado, em que o destaque foi dado à região do Algarve, que ocupou a zona central da antiga arena de touros.

A presença nesta edição decorreu numa área de mostra e exposição dedicadas em exclusivo aos Vinhos do Algarve, numa iniciativa da CVA – Comissão Vitivinícola do Algarve, que contratualizou o espaço e convidou todos os produtores a participarem na mostra.

Os oito produtores que aceitaram o desafio e deram a conhecer os seus vinhos foram a Quinta do Francês, Convento Do Paraíso, Monte do Além, Quinta da Malaca, Morgado do Quintão, Marchalégua/Borges da Silva, Paxá Wines e Cabrita Wines.

Todos estes participantes foram unânimes em considerar a iniciativa da CVA, de reunir vários produtores numa área dedicada ao Algarve, muito positiva, porque, não só possibilitou a redução de custos no evento, como também contribuiu para reforçar a imagem global da região.

Para Leonor Frazão, enóloga no Convento do Paraíso, “a participação faz todo sentido, porque o evento pretende proporcionar aos visitantes grandes descobertas de vinhos, provenientes de produtores mais pequenos, o que se enquadra na filosofia da marca”.

Já José Cabrita referiu que pretende “que os vinhos Cabrita ganhem mais visibilidade no mercado de Lisboa e que, com isto, consiga uma melhor relação comercial e de distribuição nesta zona do país”.

Pelo mesmo diapasão afina Joaquim Lopes, da Paxá Wines, que destaca a notoriedade que o certame permite: “não é pelas vendas que estamos aqui, mas sim pela visibilidade que se obtém, não só o Algarve, como os nossos vinhos, sobretudo quando apresentamos algo exclusivo e único do Algarve que é a casta Negra Mole, do qual temos um varietal, e que está a ser um sucesso na recetividade”.

Aníbal Neto, que representou a Marchalégua e Borges da Silva, reforça a importância da promoção dos vinhos em Lisboa, referindo-se à “crescente importância deste mercado que, para além do seu consumo, está igualmente a crescer, e muito, na captação de turistas, tornando-se um complemento ideal de proximidade ao mercado do Algarve”.

 

 

Fotos: Vico Ughetto/CVA

Comentários

pub
pub