Centro Cultural de Lagos celebra 25 anos com sunset, exposição e concerto

O Centro Cultural de Lagos (CCL) assinala esta terça-feira, 24 de Outubro, 25 anos de existência. Para comemorar a efeméride, […]

O Centro Cultural de Lagos (CCL) assinala esta terça-feira, 24 de Outubro, 25 anos de existência. Para comemorar a efeméride, há um sunset e tertúlia, um concerto e uma exposição.

Quanto à exposição chama-se “CCL, 25 anos de vida e história” e estará patente no hall do piso 1 do Centro Cultural de Lagos.

Já o sunset e tertúlia “CCL… o despertar de emoções!” realiza-se às 18h00, no pátio daquela infraestrutura.

O programa terá como convidados especiais os responsáveis autárquicos que, ao longo de grande parte destes últimos 25 anos, participaram neste projeto, e onde terão a oportunidade de partilhar o seu testemunho ou memória deste período.

Por outro lado, a exposição “O Contineralismo Poético – Horizontes Novos, Pinturas e Poemas”, de Timo Dillner, estará na sala de exposição 1, patente até 30 de Dezembro.

Esta exposição ilustra também, mas não só, a globalização, as descobertas de novos mundos, as viagens pelas terras desconhecidas, mas em maior parte ilustra a descoberta de novos horizontes dentro de nós.

A exposição mostra o Infante Henrique como pessoa que simboliza o abrir de portas fechadas e que assim alargou perspetivas de vista para a realização da vida humana em geral. As pinturas, os poemas, as esculturas e os desenhos da exposição apanham e perseguem essa ideia.

Para celebrar o aniversário será servido um porto de honra e um bolo de aniversário. Este momento terá um acompanhamento musical pela Sociedade Filarmónica Lacobrigense 1º de Maio.

Já às 21h25 realiza-se um espetáculo com Orquestra de Jazz do Algarve & Selvis Prestley – “Love Me Tender”, no Auditório Duval Pestana. A entrada é gratuita.

Dois dos mais emblemáticos concertos de Elvis são em Vegas, em 1970, e no Havai em 1973 – o primeiro concerto no Mundo a ser transmitido via satélite. É na inspiração destes concertos, que a Orquestra de Jazz do Algarve convida Selvis Prestley – considerado o melhor artista de tributo português a Elvis, para reviver o artista e a sua carreira.

O Centro Cultural de Lagos foi inaugurado em 24 de Outubro de 1992 e «veio colmatar uma lacuna existente no concelho e na região do Algarve», diz a Câmara de Lagos.

«Hoje, este equipamento de referência faz parte da cultura lacobrigense e da rota de grande parte dos visitantes de Lagos», acrescenta.

É que «Lagos e o Centro Cultural têm vindo a afirmar-se ao longo dos últimos 25 anos como polos dinâmicos de criação e circulação artística regional e nacional, projetando e apoiando novos olhares e leituras sobre a vida e a realidade, numa ótica de proporcionar diferentes experiências e emoções através de formas artísticas plurais e acessíveis a todos, do teatro à dança, da música à sétima arte, entre conferências especializadas ou outras atividades ligadas à pintura, escultura e cerâmica».

Para isso muito têm contribuído as sinergias estabelecidas a nível local com as associações recreativas e culturais e instituições várias, bem como parcerias dinamizadas com diversas entidades de referência a nível nacional e internacional, como a Companhia Nacional de Bailado, o Teatro Nacional de São Carlos, a Companhia de Dança de Almada, a Companhia de Teatro “A Barraca” ou o “Chapitô, além de outras a nível regional como a ACTA e a Orquestra Clássica do Sul.

A integração recente do Centro Cultural em projetos como o 365Algarve e na própria Rede de Teatros Azul «tem permitido criar oportunidades sinergéticas e economias de escala ao nível da programação para que esta aposta na área da cultura constitua uma alternativa e um complemento importante aos produtos turísticos tradicionais, condições essenciais para a valorização da identidade histórica do município de Lagos, enquanto cidade dos descobrimentos, mas também de novas descobertas, contribuindo para a projeção da sua imagem a nível regional e nacional».

Nos últimos três anos «este equipamento sofreu várias obras de renovação e reabilitação (que visaram a manutenção e conservação geral do edifício, a adequação às novas exigências em matéria de segurança e evacuação, o reapetrechamento técnico do Auditório, a melhoria de condições para os agentes culturais que habitualmente se apresentam nesta sala de espetáculos),, num investimento global de cerca de meio milhão de euros».

Por exemplo, as exposições nos Antigos Paços do Concelho e no Centro Cultural receberam, em 2016, cerca de 10 mil visitantes e só no Centro Cultural estiveram cerca de 17 mil espetadores.

 

Comentários

pub
pub