Bispo do Algarve explica mudanças de párocos

O Bispo do Algarve afirma que as nomeações de novos párocos na região, divulgadas em Julho, permitiram “preencher alguns lugares” […]

O Bispo do Algarve afirma que as nomeações de novos párocos na região, divulgadas em Julho, permitiram “preencher alguns lugares” que estavam necessitados de padres e “reestruturar a pastoral da cidade de Faro”.

“Como eu gostava que todas as paróquias conhecessem as dificuldades por que passam outras paróquias irmãs que só têm Missa sabe Deus quando”, afirmou D. Manuel Quintas, este domingo, na Eucaristia de tomada de posse do novo pároco de Santa Bárbara e Estoi.

Na intervenção divulgada ontem na edição online do jornal diocesano, «Folha do Domingo», o prelado lembrou que há párocos sozinhos, alguns idosos, que asseguram o trabalho pastoral de um concelho inteiro e outros octogenários que ainda são párocos.

D. Manuel Quintas evidenciou que as mudanças abrangeram 32 paróquias e referiu-se, de modo particular, à cidade de Faro.

“Não se compreende que uma cidade como Faro tenha 13 missas ao fim de semana quando há tantas paróquias sem Missa”, sustentou, lembrando que paroquianos de outras comunidades têm de “fazer quilómetros” para participar na Eucaristia.

“Tudo isto causa sofrimento a um bispo que não consegue chegar a todos como gostaria”, assinalou, na igreja de Santa Bárbara de Nexe, diante da qual houve uma manifestação de cerca de 30 pessoas contra a mudança do pároco.

Comentários

pub
pub