Diretor do Museu Nacional de Arqueologia vem até ao Cerro da Vila para uma conversa

António Carvalho, diretor do Museu Nacional de Arqueologia, bem como os arqueólogos Rui de Almeida e Filipe Henriques, são os […]

António Carvalho – Foto: Prelo/Imprensa Nacional-Casa da Moeda

António Carvalho, diretor do Museu Nacional de Arqueologia, bem como os arqueólogos Rui de Almeida e Filipe Henriques, são os convidados para a iniciativa “Conversas no Museu Cerro da Vila”, marcada para a próxima sexta-feira, 25 de Agosto, às 19h00, na Estação Arqueológica do Cerro da Vila, em Vilamoura.

Esta iniciativa tem o intuito de promover o Património Cultural do Concelho de Loulé, e faz parte das atividades associadas à exposição de arqueologia “LOULÉ. Territórios, Memórias, Identidades”, patente no Museu Nacional de Arqueologia (MNA), em Lisboa.

A inscrição é gratuita, mas obrigatória, e deve ser feita para o email exposicaolouleeducativo@mnarqueologia.dgpc.pt, ou através do número 289 400 611, com indicação do nome e contacto telefónico.

“LOULÉ. Territórios, Memórias, Identidades” apresenta mais de 7 mil anos de história do concelho, revela costumes, hábitos alimentares e a vida quotidiana das várias civilizações que por ali passaram através de peças arqueológicas. A exposição está patente no MNA, situado no Mosteiro dos Jerónimos, de terça-feira a domingo, entre as 10h00 e as 18h00.

A exposição é uma iniciativa conjunta dos Museus Nacional de Arqueologia e Municipal de Loulé, com o apoio da Lusitânia Seguros, da Imprensa Nacional da Casa da Moeda e do 365 Algarve. Esta iniciativa conta ainda com o apoio de Vilamoura World.

Inscreve-se na longa tradição de cooperação do Museu Nacional de Arqueologia com as autarquias, iniciada há exatamente 20 anos.

«LOULÉ. Territórios, Memórias, Identidades» é a 22ª exposição desta natureza a ocupar o Mosteiro dos Jerónimos, em Lisboa, no ano em que também o Museu Municipal de Loulé está a celebrar o seu 22º aniversário.

Segundo os seus promotores, «espelha a história de Portugal, da Península Ibérica e da Europa. Um verdadeiro ponto de partida para uma viagem obrigatória até Loulé para descobrir o Concelho e os seus segredos mais bem guardados, como o sítio de Corte João Marques, a escrita do Sudoeste, o Cerro da Vila, o Castelo de Salir e o Centro Histórico da cidade».

Comentários

pub