Dissidentes do PSD/Portimão concorrem à Câmara e Assembleia Municipal sob a sigla do «Nós, Cidadãos»

Mário Cintra, que era membro da Concelhia do PSD de Portimão e tinha pretensões a ser o número 2 da […]

Mário Cintra, que era membro da Concelhia do PSD de Portimão e tinha pretensões a ser o número 2 da lista da coligação CDS/PSD à Câmara de Portimão, é afinal o candidato do partido «Nós, Cidadãos» àquela autarquia, nas eleições marcadas para 1 de Outubro.

Como cabeça-de-lista à Assembleia Municipal, surge o médico José Dias, que já foi vereador eleito pelo PSD, na Câmara de Portimão.

A candidatura de ambos os dissidentes do PSD, agora sob a sigla do «Nós, Cidadãos», vai ser apresentada no dia 3 de Agosto, às 19h00, na Casa Manuel Teixeira Gomes, em Portimão.

Mário Cintra, engenheiro de formação, professor de profissão atual, já se desfiliou do PSD e entregou o cartão de militante, ao que o Sul Informação apurou. José Dias nunca foi militante daquele partido.

Mário Cintra nunca escondeu a sua oposição à solução encontrada pelos dirigentes social-democratas a nível local e regional, de aceitar fazer uma coligação com o CDS para concorrerem em conjunto à Câmara de Portimão, mas liderada pelo centrista José Pedro Caçorino, atual vereador eleito pelo movimento «Servir Portimão».

Em Março, tal como o Sul Informação então noticiou em primeira mão, Mário Cintra foi um dos quatro membros da Comissão Política (CP) da Secção do PSD de Portimão que exigiram a demissão imediata do presidente deste órgão, por criticarem o processo que levou à coligação com o CDS para concorrer à Câmara Municipal daquela cidade do Barlavento Algarvio.

Mais tarde, Mário Cintra tentou forçar a sua colocação como número 2 da lista encabeçada por Caçorino, ou seja, de modo a que pudesse aparecer como o primeiro candidato do PSD. Mas, ao que o nosso jornal apurou junto de David Santos, presidente do PSD/Algarve, «as listas para os diversos órgãos em Portimão ainda não estão totalmente definidas», devendo ficá-lo nos próximos dias. As listas terão de ser entregues até dia 7 de Agosto no tribunal.

Instado a comentar a candidatura de Mário Cintra e José Dias sob a sigla do «Nós, Cidadãos», o líder dos social-democratas algarvios acusou: «são pessoas mais preocupadas com os seus protagonismos individuais, que em projetos de conjunto para o concelho de Portimão».

Mas não é só neste concelho que os cabeças-de-lista escolhidos pelo PSD/Algarve estão a causar cisões no partido. Em Vila do Bispo, devido ao facto de a candidatura do PSD/CDS ser agora encabeçada por um vereador que tinha sido eleito pelo PS na lista do atual presidente socialista da Câmara, Luís Paixão, presidente da Junta de Freguesia de Sagres, bateu com a porta e recusou candidatar-se pelo seu partido, preferindo apresentar-se a eleições à frente de um grupo de cidadãos.

O atual autarca de Sagres «não quis ser candidato pelo PSD, preferindo apresentar-se assim. É uma escolha dele. O nosso cabeça de lista, Afonso Nascimento, é um independente com provas dadas», comentou ainda David Santos, em declarações ao Sul Informação.

Quanto ao «Nós, Cidadãos», está a revelar-se num partido chapéu para todo o tipo de candidatos: se em Portimão acolheu dissidentes do PSD, em Olhão apoiou o atual presidente e recandidato socialista António Pina, e, em Tavira, apoia um independente, com pouca ou nenhuma experiência na política. Poderão ainda surgir candidaturas noutros concelhos algarvios.

 

Comentários

pub
pub