Ministro da saúde convoca autarcas de São Brás de Alportel para os tranquilizar sobre CMR SUL

Não vão faltar enfermeiros no Centro de Medicina Física e Reabilitação do Sul e os problemas desta unidade de saúde […]

Não vão faltar enfermeiros no Centro de Medicina Física e Reabilitação do Sul e os problemas desta unidade de saúde situada em São Brás de Alportel vão ser gradualmente resolvidos, a partir do momento em que o Centro Hospitalar Universitário do Algarve (CHUA) for uma realidade. A garantia foi dada ao Sul Informação por Paulo Morgado, presidente da Administração Regional de Saúde (ARS) do Algarve, e deverá ser a principal mensagem que o ministro da Saúde Adalberto Campos Fernandes transmitirá à comitiva de autarcas são-brasenses que se deslocarão a Lisboa na segunda-feira, a convite do membro do Governo.

Ontem, quarta-feira, dia 31 de Maio, o ministro telefonou ao presidente da Câmara de São Brás Vítor Guerreiro a convidá-lo para uma reunião em Lisboa, na segunda-feira, estendendo o convite «aos autarcas do concelho», anunciou hoje o edil são-brasense, durante a sessão solene de celebração do Dia do Município. O encontro foi solicitado por Vítor Guerreiro, numa altura em que a situação do centro está na ordem do dia, depois de denúncias por parte do PSD de que estaria na eminência de fechar, devido à insuficiência de profissionais da área da enfermagem.

Mas, segundo garantiu Paulo Morgado, essa possibilidade «nunca esteve em cima da mesa». «Três enfermeiros do CMR Sul avisaram que iam sair, pois tinham concorrido a vagas para hospitais do Norte e no NEM. Isso causou alguma perturbação, pois as pessoas avisaram em cima da hora que iam sair dentro de poucos dias. Conseguimos resolver essa situação com recurso a enfermeiros do Centro Hospitalar do Algarve, alguns dos quais já trabalharam no centro, que vão garantir os turnos dos seus colegas que, devido a decisões pessoais, saíram da região», explicou Paulo Morgado.

«A diretora do centro, como é óbvio, fez-me chegar as suas preocupações, pois a carência de recursos que se perspetivava podia criar dificuldades a partir de meados do mês que vem. Mas nós, em contacto com as instituições que nos podiam ajudar, resolvemos a situação», reforçou.

Uma solução definitiva para as muitas dificuldades que este centro tem vindo e continua a atravessar, terá de passar pela criação do novo CHUA, que incluirá Centro de Reabilitação e Medicina Física do Sul. «O CMR Sul passou tempos difíceis, é verdade. Mas nós, neste momento, temos um caminho e uma estratégia, que na nossa visão – que até é partilhada pelos sindicatos, pelas Ordens, pelos profissionais de saúde e pelos autarcas -, poderá garantir ao Centro de Medicina Física e Reabilitação condições para recuperar estes anos em que esteve semi-adormecido», considerou Paulo Morgado.

Para que isso aconteça, há que resolver «o processo legislativo» que permitirá criar esta nova estrutura, algo que Paulo Morgado espera que possa acontecer «ainda em Junho». O presidente da ARS do Algarve lembrou que os decretos de lei como o que permitirá acabar com o CHA e criar o CHUA «demoram tempo a ser aprovados em Conselho de Ministros», tendo em conta que têm de passar antes num «circuito e por vários ministérios».

 

 

Comentários

pub
pub