Alameda Beer Fest junta mais comida às 220 cervejas que há para beber (se conseguir)

O Alameda Beer Fest de 2017, que se realiza entre 7 e 9 de Julho, vai ter um reforço de […]


O Alameda Beer Fest de 2017, que se realiza entre 7 e 9 de Julho, vai ter um reforço de um dos ingredientes que o compõem. À cerveja artesanal, à música e à Alameda João de Deus, em Faro, será adicionada mais uma “pitada” de streetfood, para que a receita, que tem resultado nos últimos anos, fique ainda melhor.

Paulo Santos, vereador da Câmara de Faro, adiantou ao Sul Informação, que haverá «um reforço da streetfood» nesta edição. Serão mais de 20 os vendedores de iguarias, que obrigaram a «reorganizar o espaço. Esta é uma boa solução para este tipo de eventos e permite um cruzamento gastronómico entre a cerveja artesanal e projetos muito interessantes de streetfood».

Apesar de «darmos preferência ao Algarve, vamos dar oportunidade a quem gosta de streetfood de poder provar o que de melhor se faz em Portugal nesta área», acrescenta Paulo Santos.

Já no que diz respeito à cerveja, essa sim a “rainha” do evento, haverá, como em anos anteriores, muito por onde escolher: 220 cervejas diferentes de 3o cervejeiros (dois algarvios: Moura e Marafada), um número igual ao ano passado.

«A procura foi muita da parte dos cervejeiros, foram mais de 100 inscriçoes, e limitámos a 30. A maior parte são portugueses e espanhóis, temos um canadiano, mas a maior força é portuguesa. Os “irmãos” espanhóis vêm com uma boa representação, com os principais mestres cervejeiros de Espanha, e algumas das principais referências na Europa», revela o responsável.

Para Paulo  Santos, 30 cervejeiros «é um número justo, com o espaço que temos, para o público, para que possa provar o diverso mundo de cervejas que vão estar à disposição, e para os cervejeiros, que conseguem um equilibrio nas vendas».

A animação musical vai ser uma constante ao longo dos três dias. Além de arruadas, haverá dois palcos: o poente, mais pequeno, e dedicado maioritariamente a projetos one man band, e o nascente por onde vão passar Festicultures e Melech Machaya (sexta-feira), Vurro e Kumpania Algazarra (sábado), ou Bed Legs e José Cid (domingo).

Segundo Paulo Santos, são esperadas cerca de 20 mil pessoas, entre sexta-feira e domingo, no Jardim da Alameda, e muitos barris de cerveja consumidos. No entanto, o consumo de álcool «não é muito excessivo. As pessoas vão na lógica de ficar durante muito tempo, entre amigos, a conviver, a experimentar… consome-se muito por haver muita gente, mas não é muita cerveja per capita».

O Alameda Beer Fest tem cervejeiros em “lista de espera”, há momentos em que, devido às muitas pessoas, o Jardim da Alameda fica «cheio de calor humano», mas Paulo Santos diz que «ainda não sentimos a necessidade de alargar o recinto, tem sido gerível. Há essa possibilidade, temos algumas ideias, mas ainda não sentimos necessidade. Para já mantemos a Alameda João de Deus como local do Alameda Beer Fest».

Até porque, para o responsável, «em equipa que ganha não mexe» e o Alameda Beer Fest «tem sido um sucesso», conclui.

Os copos para consumir cerveja no recinto mantêm o preço de 2,5 euros e o sistema de senhas também se mantém, não se aplicando à streetfood.

Comentários

pub
pub