Vá às Ruínas Romanas de Milreu para descobrir quem foi Hipácia de Alexandria

“Hipácia de Alexandria na dramaturgia portuguesa” é o tema da conferência de Tatjana Manojlovic, integrada no ciclo “Amatores in Situ”, […]

“Hipácia de Alexandria na dramaturgia portuguesa” é o tema da conferência de Tatjana Manojlovic, integrada no ciclo “Amatores in Situ”, que está marcada para as Ruínas Romanas de Milreu, em Estoi (Faro), no dia 1 de Junho, às 18h00, com entrada livre.

A vida e herança de Hipácia de Alexandria inspirou Armando Nascimento Rosa para introduzir este tema no teatro português, com a sua peça «A última lição de Hipátia» (2004). Esta recriação dramática, num registo de teatro dentro do teatro, encena o último dia da vida da cientista, ligando o mundo do séc. IV à contemporaneidade.

Curiosamente, a figura de Hipácia (ou Hipátia) de Alexandria, nascida no ano de 355 d.C., e uma das primeiras mulheres cientistas num mundo que então era totalmente dominado por homens, foi interpretada recentemente pela atriz Rachel Weisz no filme «Ágora», de Alejandro Amenabar.

Mas é a partir da peça de Armando Nascimento Rosa que Tatjana Manojlovic, investigadora do CIAC e tradutora literária, vai falar.

Tatjana Manojlovic é doutorada em Estudos de Teatro, pela Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa e licenciada em Literatura Comparada, pela Faculdade de Filologia da Universidade de Belgrado.

Traduziu para o sérvio obras de Fernando Pessoa e de José Saramago: «O banqueiro anarquista» e «Carta da corcunda para o serralheiro» de Fernando Pessoa, bem como «Ensaio sobre a lucidez» e «Levantado do chão» de José Saramago.

“Amatores in situ – O Mundo Antigo visto por aqueles que o amam” é um ciclo de palestras promovido pela Faculdade de Ciências Humanas e Sociais da Universidade do Algarve, sob a coordenação da professora Adriana Nogueira. Integra-se no DiVaM, o programa de divulgação e valorização dos monumentos do Algarve, promovido pela Direção Regional de Cultura.

Comentários

pub
pub