La Dame Blanche, Lura, Che Sudaka, Teté Alhinho e Daniel Kemish completam cartaz do MED

La Dame Blanche (Cuba/França), Lura (Cabo Verde), Che Sudaka (Colômbia/Argentina/Espanha), Daniel Kemish (Reino Unido) e Teté Alhinho (Cabo Verde) são […]

La Dame Blanche

La Dame Blanche (Cuba/França), Lura (Cabo Verde), Che Sudaka (Colômbia/Argentina/Espanha), Daniel Kemish (Reino Unido) e Teté Alhinho (Cabo Verde) são os cinco nomes que faltava anunciar do cartaz do Festival MED 2017, que vai decorrer na zona histórica de Loulé nos dias 29 e 30 de Junho e 1 e 2 de Julho.

Artistas que se juntam aos que já se sabia que estariam neste evento, entre os quais Ana Moura, Rodrigo Leão, Fábia Rebordão, Hélder Moutinho, Marta Ren, Oquestrada, Bezegol, Medeiros/Lucas, Celeste/Mariposa e Branko (Portugal), Throes + The Shine (Portugal/Angola), Rachid Taha (Argélia), Fanfare Ciocarlia (Roménia), BNegão (Brasil), Tout-Puissant Orchestre Poly-Rythmo de Cotonou (Benin), Canzoniere Grecanico Salentino (Itália), Akua Naru (Estados Unidos), Mayra Andradde (Cabo Verde), Delgres (Guadalupe/França), Niyaz (Itão), Boogat (México/Canadá) e H.A.T. (Marrocos/Estados Unidos).

No total, estarão no MED de 2017 55 bandas de 21 nacionalidades distintas, que integram mais de 250 músicos. São elas que vão garantir a animação nos nove palcos distribuídos pelo recinto do festival e proporcionar acima de 75 horas de música (ver alinhamento das bandas e palcos abaixo).

O cartaz completo da 14ª edição do MED foi apresentado no sábado, durante uma cerimónia que contou com a atuação da banda maltesa Tribali que teve lugar no Cine-Teatro Louletano. Se a tradição se mantiver, a banda que viajou de Malta e trouxe a Loulé uma fusão de diferentes estilos (World music com dança, rock, reggae, ska e blues) voltará para o ano, já que, como havia acontecido com Selma Uamusse e acontece agora com Tété alinho, a protagonista do concerto de apresentação oficial do cartaz de 2016.

Yaite Ramos Rodriguez, com o nome artístico de La Dame Blanche, é filha de Jesus “Aguaje” Ramos, «um trompetista excecional e o diretor artístico da Orquestra Buena Vista Social Club», segundo a Câmara de Loulé.

«De Cuba trouxe uma herança rica em melodias e ritmos quentes e dançantes, já pela Europa juntou-lhe o hip-hop, o dancehall ou o reggae. Influenciada pelos ritmos latino-americanos, a cantora prefere seguir um rumo mais electrónico, unindo à cumbia o hip hop e o reggae em “2”, o seu mais recente lançamento», descreveu a autarquia, que organiza o evento.

Che Sudaka

Os Che Sudaka chegam de Espanha, onde «há uma enorme vaga de bandas de ska», entre as quais a banda com elementos do país vizinho, mas também da Colômbia e da Srgentina, ocupa «a linha da frente». «Formado em Barcelona, o grupo está em 2017 a comemorar quinze anos de existência e a digressão que passa agora pelo MED de Loulé celebra a data com uma explosão de diversidade musical onde o ska, o punk e a cumbia são os sabores principais», segundo a Câmara de Loulé.

Lura, outro dos nomes revelados no sábado, regressa ao MED, depois de lá ter passado em 2009. A artista de Cabo Verde gravou o disco “Herança” em 2015, um «trabalho vibrante, tremendamente dançável e puramente cabo-verdiano», que «foca a real energia do arquipélago, o compasso e ritmo do funaná e retrata a intensidade cabo-verdiana, das suas gentes, tradições e da sua música na mais melodiosa e carismática voz de toda uma geração».

Também de regresso a Loulé, mas em estreia no MED, estará Tété Alhinho. A cantora cabo-verdiana abriu o apetite para a edição de 2016 do festival e subirá agora a um dos palcos.
«Autora e compositora de mais de 50 canções, muitas delas autênticos clássicos no cancioneiro de Cabo Verde, o seu CD ”Voz” é um disco apenas com guitarra e voz e foi considerado pela Songlines, editora inglesa de World Music, como um dos 10 melhores Discos de 2004. Em Loulé, apresentará “Mornas ao Piano”, projeto sonhado há muitos anos segundo a cantora, um trabalho que celebra a simplicidade e magnificência das suas composições, onde se encontram também temas originais com a assinatura de nomes como Mário Lúcio Sousa ou Bleza», anunciou a Câmara.

Já Daniel Kemish, um cantor/compositor com estilo folk americano, estará em casa. É que, apesar de ter nascido no Reino Unido, o artista cresceu no Algarve, de onde partiu para o mundo, para mostrar a sua música. Só este ano, «realizou mais de 150 concertos e percorreu mais de 75.000 km promovendo o seu álbum de estreia “Fools and Money”, que foi gravado no estúdio A do famoso “Ocean Way Nashville”». «Ao vivo, Daniel é “cru” e energético, transitando perfeitamente entre o rock and roll e as músicas íntimas e delicadas, seja com banda ou a solo», segundo a autarquia louletana.

Tribali_Apresentação Cartaz completo MED 2017

Vítor Aleixo, presidente da Câmara de Loulé, aproveitou a sessão de apresentação da 14ª edição do MED para lembrar que este festival venceu o prémio de “Melhor Festival de Média Dimensão”, no passado mês de março, em Barcelona, durante os Iberian Festival Awards. «É o reconhecimento de que Loulé, neste contexto de promoção de festivais de World Music, se posiciona de tal maneira que é capaz de competir com as cidades mais importantes da Península Ibérica», sublinhou o edil louletano.

«Este ano fomos particularmente cuidadosos na escolha dos artistas para que este seja, se não a maior, uma dos maiores edições destes 13 anos realizados», acrescentou.

Desde que  o Festival MED arrancou, já ali atuaram 450 bandas em representação de 41 países, entre eles o Mali, a Finlândia, os Estados Unidos, Cuba, Bósnia-Herzegovina, Israel, Angola, Moçambique e, naturalmente, Portugal, entre outros. Buena Vista Social Club, George Clinton, Balkan Beat Box, Cumbia All Stars, Goran Bregovic, Shantel Solommon Burk, Amadou&Mariam, Rokia Traoré, Kimmo Pojonnen, Tinariwen, Carminho, Gisela João, Camané ou Batida foram algumas das figuras da cena internacional da World Music que já integraram o cartaz deste evento.

 

Programa:

29 de Junho

Palco Matriz
22h15 – Ana Moura
00h15 – Orchestre Poly-Rythmo de Cotonou
02h15 – Celeste/Mariposa

Palco Cerca
21h15 – Teté Alhinho
23h15 – Akua Naru
01h15 – Rachid Taha

Palco Castelo
21h00 – Daniel Kemish
23h00 – Marta Ren
01h00 – La Dame Blanche

30 de Junho

Palco Matriz
22h15 – Rodrigo Leão
00h15 – Boogat
02h15 – H.A.T.

Palco Cerca
21h15 – Lura
23h15 – Canzoniere Grecanico Salentino
01h15 – Bnegão

Palco Castelo
21h00 – Hélder Moutinho
23h00 – Oquestrada
01h00 – Throes+The Shine

1 de Julho

Palco Matriz
22h15 – Niyaz
00h15 – Che Sudaka
02h15 – Branko

Palco Cerca
21h15 – Mayra Andrade
23h15 – Delgres
01h15 – Fanfare Ciocarlia
23h15 – Delgres

Palco Castelo
21h00 – Medeiros/Lucas
23h00 – Fábia Rebordão
01h00 – Bezegol

2 de Julho

Open Day

Comentários

pub
pub