Património e Turismo, visitas guiadas e exposições marcam Dia dos Monumentos em Silves

A palestra “Património Histórico e Turismo Sustentável”, por Vítor Neto, as visitas guiadas às ruínas arqueológicas da Arrochela, ao Circuito […]

A palestra “Património Histórico e Turismo Sustentável”, por Vítor Neto, as visitas guiadas às ruínas arqueológicas da Arrochela, ao Circuito dos Menires ou na Rota do Barroco, e ainda a exposição sobre a Misericórdia de Silves – estas são apenas algumas das atividades propostas pela Câmara de Silves, para assinalar o Dia Internacional dos Monumentos e Sítios, entre 18 e 23 de Abril.

O programa começa no dia 18, logo às 9h00, com abertura da exposição “A História de Silves em BD” – de José Garcês, na Torre de Menagem do Castelo de Silves. Esta mostra esteve patente ao público no Museu de Arqueologia a História de Silves e agora chegará a todos os visitantes do castelo, que é o segundo monumento mais visitado do Algarve, depois da Fortaleza de sagres.

“Conheça-nos melhor, somos Silves” é a atividade que vai decorrer entre as 10h00 e as 19h00 e que associa o comércio local. A proposta é que, ao longo de todo o dia, quem adquirir a entrada conjunta Museu/Castelo terá direito a uma caderneta de vauchers, que permitirá aceder a descontos nos serviços dos estabelecimentos aderentes. «Assim, não se promove somente o património, mas estimulam-se os visitantes a usufruir do comércio local», salienta a Câmara de Silves.

Seguindo a mesma lógica e procurando que os restaurantes da cidade possam também usufruir de maior afluência de público neste dia especial, nasce a iniciativa “Menu Histórico por um dia”. Além da ementa habitual, os restaurantes participantes criarão um menu inspirado em receitas históricas (propostas pela autarquia), que terá um valor fixo e igual, e no qual os restaurantes não deverão repetir os pratos. Os restaurantes estarão sinalizados com um painel uniformizado, para que os visitantes os possam facilmente identificar.

O Museu Municipal de Arqueologia participará, igualmente, com a iniciativa “Do Puzzle ao Objeto”, que decorrerá entre as 10h00 e as 12h00 e 14h00 e as 16h00.

Destinada ao público infantil e juvenil e sujeita a marcação prévia, esta ação levará os participantes a viver o dia-a-dia de trabalho dos conservadores-restauradores de cerâmicas arqueológicas, simulando a reconstrução de peças, selecionando fragmentos de objetos cerâmicos.

Uma visita às ruínas arqueológicas da Arrochela (sujeita a marcação prévia), localizadas no coração do centro histórico de Silves, terá lugar pelas 17h00.

Esta visita será guiada e haverá a possibilidade de apreciar este espaço que, em 1994, durante a abertura de alicerces num terreno propriedade da Misericórdia de Silves, pôs a descoberto silos, fragmentos cerâmicos de época islâmica e medieval cristã, moedas, e um cunhal de porta do período Manuelino, numa área aproximada a 570 metros quadrados.

Na intervenção arqueológica que se seguiu, a cargo da arqueóloga Rosa Varela Gomes, foram identificadas várias estruturas habitacionais de época moderna, que constituiriam um quarteirão. Observou-se que as duas habitações parcialmente escavadas se orientavam de forma diferente, para norte e para poente, evidenciando-se diversos compartimentos e os pátios respetivos.

Sob estas estruturas, associadas a materiais arqueológicos dos séculos XV e XVI, que definem o seu período de sobrevivência, identificaram-se outras, do período islâmico, configurando pelo menos uma habitação do período Almóada (séculos XII-XIII). Observaram-se ainda, vários silos, preenchidos por materiais que remontam ao século X, altura a partir da qual se confirma a ocupação do local.

Este espaço beneficiará, a partir do próximo dia 18, de uma pequena requalificação e valorização, com a colocação de uma vedação que permite visualizar o interior e de um painel informativo.

O dia 18 de Abril terminará pelas 21h00, com uma palestra de Vítor Neto, especialista na análise económica e sociológica do fenómeno turístico, intitulada “Património Histórico e Turismo Sustentável” e que terá lugar no Museu Municipal de Arqueologia. Este evento proporcionará o debate em torno das questões da sustentabilidade dos nossos recursos turísticos.

No dia 21, será inaugurada a mostra “A Misericórdia de Silves. Cinco Séculos de História e Memória”. A Igreja da misericórdia será o espaço onde, às 18h00, se abrirá esta exposição, realizada com base em pesquisa feita nos documentos disponíveis pelo investigador Aurélio Cabrita, técnico desta autarquia e que dará enfoque aos factos mais marcantes da História da Igreja da Misericórdia de Silves e da sua ação social e cultural no seio da comunidade onde se insere e para a qual trabalha há mais de cinco séculos.

Uma visita acompanhada ao Circuito dos Menires, guiada por Leonor Rocha, professora na Universidade de Évora e especialista em Megalitismo, cultura material onde se inserem estes objetos de caracterização funcional tão controversa, é a proposta para 22 de abril, pelas 15h00. Quem desejar participar deverá fazer marcação prévia.

O programa do Dia Internacional dos Monumentos e Sítios termina no dia 23 de Abril, com uma visita acompanhada ao património religioso construído ou alterado no período onde o estilo barroco predominava na arquitetura e na decoração e que terá lugar entre as 9h30 e as 17h30.

“Na Rota do Barroco”, incluem-se espaços em diversas freguesias do concelho, como a Igreja Matriz, do Carmo e da Misericórdia de Alcantarilha, de S. Francisco e Paroquial de Pêra Capela de Santo António das Areias em Armação de Pera, Igreja Matriz e de S. Sebastião, em Algoz, e ainda a Matriz de São Bartolomeu de Messines.
Mais uma vez, há necessidade de marcação prévia para poder participar nesta visita acompanhada.

O Dia Internacional dos Monumentos e Sítios terá este ano como tema central o “Património Cultural e Turismo Sustentável”. Este dia foi criado pelo Conselho Internacional dos Monumentos e Sítios (ICOMOS) a 18 de Abril de 1982 e aprovado pela UNESCO no ano seguinte.

Tem como objetivo sensibilizar os cidadãos para a diversidade e vulnerabilidade do património, bem como para a necessidade da sua proteção e valorização. Além disso e porque junta muitas nações do mundo, celebra a solidariedade internacional em torno do conhecimento, da salvaguarda e da valorização do património.

Comentários

pub
pub