Deputados do PS Algarve querem formação ligada às atividades do mar em Portimão

Os deputados do PS eleitos pelo Algarve estão preocupados com a «falta de oferta formativa» do Centro de Formação Profissional […]

Os deputados do PS eleitos pelo Algarve estão preocupados com a «falta de oferta formativa» do Centro de Formação Profissional das Pescas e do Mar (CFPPM) em Portimão.

Numa pergunta enviada aos Ministérios da Segurança Social e do Mar, Luís Graça, António Eusébio e Jamila Madeira questionam se o CFPPM tenciona, de acordo com o Plano de Formação previsto para 2017, reabrir as ações de formação no polo de Portimão.

Em causa, o For-Mar, um programa de formação profissional dirigido às atividades económicas tradicionais do mar, como a pesca e as marítimo-turísticas, e que, lembram os deputados socialistas, tem no Algarve forte expressão e importância formativa, contando com dois polos do Centro de Formação Profissional das Pescas e do Mar em Olhão e Portimão.

«O Polo de Formação For-Mar de Portimão abrange todo um território entre Albufeira e Arrifana, no concelho de Aljezur», sublinham os parlamentares, que não compreendem a falta de oferta formativa neste polo.

«A demonstrar a sua relevância social está o facto do polo de Portimão assumir-se como um dos polos do CFPPM com maior atividade formativa no país, assim como o número de pedidos de inscrição que já possui neste momento, apesar de não existir até à data qualquer decisão para a abertura de cursos naquele centro de formação», afirmam.

Para os deputados, a situação é injustificável, uma vez que «muitos dos potenciais formandos são desempregados» e trata-se de um setor que carece de mão-de-obra.

«Não se entende as razões porque, apesar das necessidades, a formação no polo de Portimão continua suspensa», sublinha o deputado socialista Luís Graça, lamentando que alguns interessados tenham feito a sua inscrição no polo de Olhão, apesar das distâncias poderem ser superiores a 90 quilómetros e isso implicar um elevado custo.

Face a tudo isto, os deputados querem saber se «o Ministério do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social e o Ministério do Mar, tem conhecimento da procura de formação, nomeadamente no Barlavento algarvio, e da ausência de resposta do Centro de Formação Profissional das Pescas e do Mar», interrogando ainda o Governo sobre a data de abertura das inscrições do For-Mar no polo de formação de Portimão.

Comentários

pub
pub