Uma “Malapata” farense que vai a caminho dos cinemas

O Jardim Manuel Bivar, o Arco da Vila, a Ria Formosa, com o sol a pôr-se no horizonte, mas também […]

O Jardim Manuel Bivar, o Arco da Vila, a Ria Formosa, com o sol a pôr-se no horizonte, mas também o Teatro Lethes e as ruas da Vila-Adentro. Faro é o cenário do filme “Malapata”, que se revelou em antestreia ontem, dia 14 de Março, no Teatro das Figuras. A narrativa, que foi toda gravada na capital algarvia, levará Faro aos cinemas, já a partir de amanhã, dia 16.

Uma história de amizade, que tinha tudo para dar certo, é o mote para o filme, que marca a estreia de Diogo Morgado como realizador de longas-metragens, e que tem como produtor o algarvio Patrício Faísca.

Rui Unas é Carlos, Marco Horário é Artur e, após uma noite de copos, sai-lhes, literalmente, “a sorte grande”. Só que o que parecia ser bom… acaba por se revelar uma grande malapata.

Ainda antes do filme começar a rodar no ecrã do Teatro das Figuras, Diogo Morgado, que, acompanhado de parte do elenco, como Luciana Abreu e Ana Malhoa, teve direito a sala cheia, explicou o porquê de Faro ser o cenário para a película.

«Estamos a tentar cortar as convenções e descentralizar as histórias. O nosso país é muito mais do que Lisboa e Porto e o Sul de Portugal pareceu-nos perfeito. A cidade de Faro recebeu-nos de braços abertos.».

O filme é uma comédia, mas tenta também lançar o repto para várias questões, como a importância do dinheiro, o amor e a amizade. E o facto de ter sido filmado na capital do Algarve também influenciou o desenrolar da história. «Faro é uma cidade urbana, enérgica e tudo isso é passado para o filme», explicou Diogo Morgado.

Ainda assim, alguns interiores, «por questões logísticas», tiveram de ser filmados em Lisboa, uma vez que o elenco todo estava lá a trabalhar.

Rui Unas, que dá corpo a uma das personagens principais, também não faltou à antestreia e, tal como Diogo Morgado, exprimiu, entre risos, o gosto que teve em filmar no Algarve. «Fomos super bem recebidos e comemos muito bem». Nem o «pouco de vento» que estava durante as filmagens tornou, para o ator, este filme menos «prazeroso de fazer».

«Este é um projeto ambicioso que tentou, num curto espaço de tempo, divertir as pessoas. Esse é o grande propósito, que é difícil concretizar», acrescentou Rui Unas. Até porque o filme é «feito por amigos, mas não de amigos», uma vez que as piadas não são só compreendidas pelos atores.

No final da exibição do filme, que recebeu muitos aplausos, Rogério Bacalhau, presidente da Câmara de Faro, louvou a «coragem» de Diogo Morgado «em sair dos grandes centros urbanos». «As imagens da cidade estão lindas e a história também está rica», acrescentou.

Já o realizador, além de agradecer ao Hotel Faro, onde foram gravadas algumas cenas, deixou uma mensagem a todos: «se este filme não tiver expressão… não haverá outro».

E se a lotaria, que é o pano de fundo de “Malapata”, é pura ficção… a verdade é que ontem houve, mesmo, um feliz galardoado que, registou o Euromilhões em Faro, e acertou em cheio na chave!

 

Veja o trailer de “Malapata”:

 

Comentários

pub
pub