Associativismo oitocentista, alimentação medieval e Cacela Velha marcam Jornadas de História do Baixo Guadiana

A primeira sessão das IV Jornadas de História do Baixo Guadiana vão decorrer no dia 20 de Janeiro, entre as […]

A primeira sessão das IV Jornadas de História do Baixo Guadiana vão decorrer no dia 20 de Janeiro, entre as 9h30 e as 16h30, no Arquivo Histórico Municipal António Rosa Mendes, em Vila Real de Santo António.

As Jornadas abrem às 10h00 com a comunicação «O movimento associativo no Algarve: sociabilidade, cultura e património no Baixo Guadiana», por Patrícia Palma.

O envolvimento dos portugueses nas duas guerras Oitocentistas – a Guerra Peninsular de 1808-1814 e a Guerra Civil de 1828-1834 – alterou de forma irreversível a natureza da relação dos indivíduos – cidadão e “cidadoa”, conceitos então nascentes – com o mundo sociopolítico.

Generalizaram-se as reuniões para a discussão pública de ideias e de notícias, que circulavam através de jornais, folhetos e folhas soltas, e a leitura coletiva e com sentido interveniente passou a organizar a sociabilidade de diferentes grupos sociais, como se pode observar na dinâmica associativa formada no Algarve ao longo do período Oitocentista.

«Dedicaremos esta conferência à análise desse dinamismo social e solidário, particularizando casos específicos do Baixo Guadiana, onde será possível compreender como tais instituições de iniciativa privada contribuíram ativa e diversamente para o longo processo de desenvolvimento cultural da região», explica a autora.

Poderão tais organizações, espaços e práticas integrar o conceito de património cultural? Como e com repercussões na atualidade?

Segue-se, às 11h00, Luísa Martins, que falará sobre «Para que o povo não padeça de fome: a gestão alimentar no período medieval cristão», que pretende «demonstrar como os concelhos medievais geriam a produção dos alimentos e como se alimentavam as populações, a partir das atas de vereação do concelho de Loulé no período medieval cristão».

«Desde a trilogia consagrada do pão, do azeite e do vinho à venda do peixe nas bancas da praça, apresenta-se uma imagem do quotidiano das populações algarvias».

As Jornadas encerram, às 14h00, com uma visita a Cacela Velha, tendo como tema a história dos hábitos alimentares a partir do registo arqueológico, conduzida pela arqueóloga Catarina Oliveira.

As inscrições devem ser feitas através do email arquivomunicipal@cm-vrsa.pt ou do telefone 281510260. A entrada é livre.

As restantes sessões destas Jornadas, ao longo do ano de 2017, estão previstas para 17 de Março e 26 de Maio.

Comentários

pub