Algarve tem a maior taxa de participações de violência doméstica de Portugal continental

O Algarve é a região de Portugal Continental com maior taxa de incidência de participações de violência doméstica por mil […]

O Algarve é a região de Portugal Continental com maior taxa de incidência de participações de violência doméstica por mil habitantes, de acordo com o documento “Violência doméstica – 2015, Relatório Anual de Monitorização”, da responsabilidade do Ministério da Administração Interna, publicado há poucos dias, a 29 de Dezembro.

A taxa de incidência no Algarve é de 2,99 por mil, sendo que a média, no continente, se cifra nos 2,52 por mil. Se se incluir a Madeira e os Açores, a região algarvia “cai” para o terceiro posto, uma vez que, no arquipélago açoriano, a taxa de incidência é de 3,92 e na Madeira de 4,09.

Os números absolutos também são impressionantes, na região algarvia. É que em 2015, foram feitas, só no distrito de Faro, 1322 participações às autoridades por violência doméstica, que correspondem a 4,9% do total nacional.

Destas, 792 queixas foram apresentadas à GNR e 530 à PSP. Em relação a 2014, o número de participações subiu 0,7% na região.

Lisboa (5903), Porto (4781), Setúbal (2284), Aveiro (1766) e Braga (1729) são os distritos com maior número de queixas registadas. Em sexto lugar, surge Faro, e, no último, encontra-se Beja com apenas 246 participações de violência doméstica ao longo de todo o ano de 2015. Mas Beja é também dos distritos menos populosos do país, sendo que, em permilagem (taxa de participações por 1000 habitantes) foi dos que mais cresceu a nível nacional.

Em todo o país, em 2015, foram registadas pelas Forças de Segurança 26815 participações de violência doméstica, 11544 pela GNR (43,1%) e 15271 (56,9%) pela PSP, o que correspondeu a um decréscimo face a 2014 (-1,8%; -502 participações).

De acordo com o mesmo relatório, as vítimas de violência doméstica são geralmente do sexo feminino (85%), casadas ou em união de facto (46%), com uma idade média de 41 anos e sem dependência económica do agressor. Estes números indicam, assim, que 15% das vítimas de violência doméstica são homens, fenómeno cuja visibilidade tem vindo a aumentar.

O número de detenções efetuadas pelas Forças de Segurança, «no âmbito de situações de violência doméstica, tem vindo a aumentar ao longo dos últimos seis anos: em 2015 foram efetuadas 750 detenções, o que corresponde a um aumento de 21% face ao ano anterior e mais do triplo das detenções efetuadas em 2009», acrescenta o documento do MAI.

 

Número de participações aumentou no Algarve no primeiro semestre de 2016

Os dados completos de 2016 ainda não são conhecidos, mas o Ministério da Administração Interna revelou números sobre o primeiro semestre, indicando que o número de participações aumentou 5% no Algarve.

Entre Janeiro e Junho de 2016, foram feitas 672 participações de violência doméstica no Algarve, sendo que, no período homólogo de 2015, tinham sido feitas 640.

O aumento de 5% é o quarto maior a nível nacional, atrás de Beja (20,8%), Lisboa (7,5%) e Braga (6,1%).

Comentários

pub
pub