Tem uma boa ideia de negócio? Então concorra ao «Ideias em Caixa»

Não interessa a área de atividade, nem sequer é preciso que a ideia de negócio esteja muito aprofundada, desde que […]

Não interessa a área de atividade, nem sequer é preciso que a ideia de negócio esteja muito aprofundada, desde que seja inovadora. O concurso Ideias em Caixa 2016 do CRIA da Universidade do Algarve desafia os algarvios a colocar no papel os seus sonhos de empreendedorismo, para, quem sabe, dar o primeiro passo para um futuro negócio de sucesso.

A fase de apresentação de propostas à 5ª edição deste concurso do CRIA – Divisão de Empreendedorismo e Transferência de Tecnologia da Universidade do Algarve já começou e vai decorrer até ao dia 3 de Março.

Esta é a primeira fase de um processo que também prevê um período de amadurecimento de um primeiro lote de ideias selecionadas e terminará com a atribuição de prémios a 30 das propostas apresentadas na primeira fase. Para se ter uma ideia, na última edição do concurso foram apresentadas «161 ideias de negócio».

Quem quiser submeter uma ideia a concurso deve preencher o formulário «Proposta Sumária», disponível no site do CRIA, e enviá-la para o email ci2016@ualg.pt , juntamente com os currículos de cada participante.

«Nesta primeira fase, passa por um formulário muito, muito básico de candidatura, que pede alguma informação sobre os promotores e sobre o projeto. A ideia é facilitar e dar uma grande liberdade às pessoas para apresentar qualquer ideia de negócio em que tenham pensado, qualquer projeto que tenham em mente, para que depois possam ser avaliados e trabalhados com a equipa da Universidade do Algarve», descreveu o diretor do CRIA Hugo Barros ao Sul Informação e à Rádio Universitária do Algarve Rua FM (102,7 FM), como convidado do programa radiofónico Impressões.

Esta simplicidade no acesso ao concurso tem o objetivo de abrir ao máximo o leque de recrutamento de ideias e dar espaço às pessoas para que «dêem azo à sua imaginação e ao seu empreendedorismo». «Iremos fazer sessões de divulgação junto dos centros de investigação, da comunidade académica, dos municípios e das escolas profissionais, no sentido de ter a capacidade de chegar ao público alvo, esteja ele onde estiver, identificando boas ideias de negócio que sejam inovadoras», ilustrou.

Hugo Barros CRIA

 

Seguem-se os chamados business labs, onde os promotores das ideias que forem selecionadas, após a primeira fase, podem amadurecer o seu projeto. «Aqui, os participantes selecionados frequentam seminários e oficinas sobre empreendedorismo, criação e gestão de empresas, entre outros temas. O que se pretende é dar ferramentas aos promotores para saberem mais sobre o seu negócio, sobre o que é a corporização de uma empresa», disse.

Após este processo, os projetos finais são escolhidos por um júri composto pelos diferentes parceiros do CRIA na promoção deste concurso.

Este modelo tem vindo a ser aperfeiçoado ao longo dos anos e o balanço dos organizadores do evento é positivo. «Ano após ano, o número de candidaturas tem sido maior. (…) No final de tudo, o que importa não é só ter boas ideias de negócio, mas também que daí nasçam empresas. Após várias edições, apraz-nos verificar que muitas destas empresas continuam a trabalhar e a inovar», disse Hugo Barros.

Até porque um dos objetivos do Ideias em Caixa é «ajudar a promover a empregabilidade e a inovação no território».

«Vamos já na 5ª edição do concurso e achamos que é algo que tem vindo a ter um crescimento muito interessante, em termos de modelo de trabalho, das parcerias que têm vindo a ser criadas e dos outputs de empresas e, mais importante que tudo, do sucesso dessas empresas pós-concurso», acrescentou o diretor do CRIA, que foi acompanhado, na entrevista ao Impressões, pelos vencedores do último Ideias em Caixa, os jovens Maurício Namora e Márcia Santos, da startup Mirabilis.

O Ideias em Caixa é desenvolvido em parceria com a Associação Empresarial da Região do Algarve (NERA), a Associação Nacional de Jovens Empresários (ANJE), a Caixa Geral de Depósitos e a Agência para a Competitividade e Inovação (IAPMEI).

 

Clique aqui para ouvir o Impressões na íntegra.

 

Impressões Ideias em Caixa
Hugo Barros, com Maurício Namora e Márcia Santos, da startup Mirabilis

Comentários

pub