Quer saber como era o Algarve há 60 anos? (com vídeo)

A Cinemateca Portuguesa – Museu do Cinema tem vindo a disponibilizar, desde 2011, no seu sítio da internet, vários filmes […]

filme-o-meu-algarve-1956A Cinemateca Portuguesa – Museu do Cinema tem vindo a disponibilizar, desde 2011, no seu sítio da internet, vários filmes e vídeos, entre os quais, alguns sobre o Algarve. Entre estes, ficou, muito recentemente, disponível “O meu Algarve”, do realizador F. Evaristo, filmado em 1956.

Com uma duração de cerca de 30 minutos, tem a particularidade de ser a cores e, apesar de o narrador se expressar em francês, a sua visualização constitui uma verdadeira viagem no tempo, a um Algarve já desaparecido, que timidamente despertava para o turismo.

De Castro Marim a Sagres, o autor percorre a região, destacando aspetos urbanos e paisagísticos, como as amendoeiras floridas, na várzea da Orada, ou, nos arredores de Olhão, as praias, mas também os vestígios arqueológicos, a preparação do figo, a feira da Guia ou o Carnaval de Loulé.

Os meios de transporte também não foram olvidados: o comboio a vapor, os burros, as carroças, são bem patentes no documentário. O mesmo se passa com os aspetos agrícolas ou domésticos, como lavar a roupa na ribeira.

Por isso, caro leitor, convidamo-lo, desta vez, não através de palavras, mas de uma película, a viajar não 100 anos, mas tão somente 60. Preparado? Aí vamos nós a 1956 …

Clique aqui para ver o vídeo «O meu Algarve».

 

Comentários

pub
pub