Portimão: Música e imagem ganham sabor no próximo «Fazer Render o Peixe»

O Museu de Portimão vai «Fazer Render o Peixe» nos dias 20 e 21 de Dezembro, em mais uma sessão […]

sampladelicos_os-antipodas-da-gastronomiaO Museu de Portimão vai «Fazer Render o Peixe» nos dias 20 e 21 de Dezembro, em mais uma sessão deste ciclo de arte e gastronomia, que irá juntar uma performance audiovisual-gustativa à inauguração de uma instalação escultórica.

No dia 20, às 18h00, o público poderá desfrutar do espetáculo multissensorial de entrada livre «Os Antípodas da Gastronomia», que será protagonizado pela dupla «Sampladélicos» e pelo chef André Magalhães. A 21 de Dezembro, João Leonardo dará a conhecer a sua obra «Europa – Polar Shift».

No primeiro dia desta nova jornada do ciclo «Fazer Render o Peixe», integrado no programa 365 Algarve, há «memórias narradas, cantadas» pela dupla Sílvio Rosado (músico) e Tiago Pereira (realizador) que compõe os «Sampladélicos», mas também confecionadas, neste caso pelo chef convidado.

«O trabalho dos Sampladélicos consiste numa encenação a partir dos conceitos pessoais de cada um do que é a tradição, o património. No Algarve, que visitam regularmente, deparam-se com um território rico, uma população que foge da montanha para o mar à procura de outras condições de vida, tornando hoje, ao mesmo tempo, geograficamente próximos mundos tão distintos. O Chef e artistas encontraram, nesse contexto, o material necessário para a montagem perfeita, filmando e fotografando métodos de confeção tradicional, rituais preservados ao longo dos anos por famílias arreigadas aos hábitos ancestrais de trabalho», descreveu a Câmara de Portimão.

Como ilustram os promotores deste espetáculo, «hoje vivemos nos antípodas da gastronomia», já que há programas e concursos de culinária que nos chegam todos os dias através da televisão, «mas nem sempre a gastronomia é o mais importante, muitas vezes nem os pratos vemos».

Ainda a 20 de Dezembro, o chef André Silva vai sugerir uma Experiência Gastronómica que se desenrolará à volta do menu«Antípodas», que contará com Picadinho de Carapau “alimado”, Xarém de Camarão “Louisiana”, Jantarinho de Chícharos com “pézinhos” e “Bába” de Milhos com Medronho. A acompanhar será servida uma seleção de vinhos da Comissão Vitivinícola do Algarve.

Quem quiser desfrutar desta experiência terá de desembolsar 45 euros. A participação é limitada a 25 lugares, pelo que os interessados deverão fazer a marcação prévia através do número 282 405 230 ou do email museu@cm-portimao.pt.

joao-leonardo-em-adega-algarvia_foto-rodrigo-bettencourt-da-camara
Joao Leonardo em adega algarvia_foto Rodrigo Bettencourt da Camara

No dia seguinte, 21 de Dezembro, será inaugurada no Museu de Portimão a instalação escultórica «Europa – Polar Shift», do artista natural do Alentejo residente na Escandinávia, João Leonardo.

Este trabalho, «inspirado na gastronomia ancestral portuguesa é uma homenagem à dieta mediterrânica, composta pela exposição in vitro (e in vita) dos seus ingredientes base, por contraponto aos dos povos do norte da Europa».

Como sempre acontece no «Fazer Render o Peixe», não faltará a componente gastronómica,  proporcionada pela Docapesca, um dos parceiros do ciclo de arte e gastronomia portimonense, que irá oferecer ao público uma prova de vinho e azeite.

Nesta instalação artística, que junta escultura e pintura, João Leonardo «apropria-se de produtos alimentares como matéria-prima para construir uma reflexão sobre as diferenças socioculturais e históricas que separam o Norte e o Sul da Europa».

Para isso, usa «caixas emolduradas onde são acondicionados os quatro produtos que caracterizam a alimentação tradicional dos países do sul (azeite e vinho) e do norte (banha e cerveja)».

«A forma de apresentação do trabalho funciona como um mapa minimalista e monocromático, disfuncional e absurdo, entre o erudito e o decorativo, que sublinha as diferenças culturais destes polos, simplificados e materializados nos materiais usados e sublinhados pelo título – “Polar Shift” ou Alteração Polar –, o qual se refere ao conceito de mudança dos polos magnéticos do planeta», resume a autarquia portimonense.

«Fazer Render o Peixe» é uma iniciativa promovida pelo Município de Portimão, com a direção artística da Associação Aspas e Parênteses, integrada no programa 365 Algarve, no qual Portimão tem três projetos aprovados. É apoiada pela Docapesca, pela Escola de Hotelaria de Portimão e pela Comissão Vitivinícola do Algarve.

Comentários

pub
pub