A eleição do novo Secretário-Geral da ONU: Hoje é um dia de esperança!

António Guterres foi aclamado como novo secretário-geral da Organização das Nações Unidas (ONU). O reconhecimento do seu mérito, do humanismo, […]

antónio guterresAntónio Guterres foi aclamado como novo secretário-geral da Organização das Nações Unidas (ONU). O reconhecimento do seu mérito, do humanismo, da experiência política e executiva, das suas capacidades de mediação e persuasão, da sua incrível capacidade de trabalho e preparação dá-nos alento num mundo que a todos põe à prova.

Só nos podemos orgulhar deste Português que se destaca uma vez mais no panorama internacional e que eleva a lusofonia e a diplomacia portuguesa a um patamar maior.

Pela primeira vez na sua história, a escolha para secretário-geral da ONU foi feita nos moldes abertos que acompanhámos: uma avaliação exigente dos candidatos, o escrutínio escalpelizado de percursos, currículos e perfis. E embora atores institucionais europeus com responsabilidades jogassem mão dos velhos métodos, vingou a transparência, reconheceu-se a necessidade imperiosa de um novo paradigma.

Espero veementemente que, de uma vez por todas, seja reconhecido que a intervenção da União Europeia só poderá ter a confiança dos cidadãos e ser credível no plano global se se pautar pela defesa intransigente de valores humanistas, de transparência, seriedade e ética.

Espero igualmente que a Organização das Nações Unidas assuma o papel de destaque necessário no panorama geopolítico mundial.

Os desafios, de cariz global, que enfrentamos são deveras exigentes. As organizações internacionais têm de estar à altura da construção de um mundo mais justo e solidário.

Precisamos desesperadamente de líderes capazes de atuar com firmeza na resolução dos problemas e dramas complexos com que nos defrontamos e que contribuam com soluções que promovam o equilíbrio entre as nações e prossigam um caminha de paz e justiça.

Necessitamos de cidadãos mais envolvidos, mais escrutinadores, mais comprometidos social e civicamente. Só assim as instituições e os líderes terão o devido contexto que permitirá alcançarmos a concretização de uma sociedade global mais coesa.

A humildade e gratidão expressadas pelo novo secretário-geral da ONU confere-nos inspiração renovada nas instituições, nas lideranças e confiança no futuro.

Que o mandato de António Guterres à frente dos destinos da ONU fique gravado na nossa história coletiva como sinónimo de construção de um mundo melhor!

 

Inês Morais PereiraAutora: Inês Morais Pereira é advogada e doutoranda em Gestão da Inovação e do Território, na Faculdade de Economia da Universidade do Algarve

 

 

 

 

Comentários

pub
pub