Odemira reativa Centro Local de Apoio à Integração de Migrantes

O Município de Odemira vai assinar hoje, às 18h00, na Biblioteca Municipal José Saramago, um protocolo de colaboração com o […]

Odemira_02O Município de Odemira vai assinar hoje, às 18h00, na Biblioteca Municipal José Saramago, um protocolo de colaboração com o objetivo de reativar o Centro Local de Apoio à Integração de Migrantes – CLAIM – no concelho alentejano.

Segundo a autarquia, «este protocolo insere-se no âmbito do Plano Municipal para a Integração de Imigrantes “Odemira Integra” e tem como objetivo assegurar a continuidade do CLAIM no concelho de Odemira, enquanto gabinete de acolhimento, informação e apoio descentralizado aos imigrantes que afluem ao concelho de Odemira, face às estratégias definidas a nível nacional e local».

O protocolo vai ser assinado pelo presidente da Câmara Municipal de Odemira, José Alberto Candeias Guerreiro, pela TAIPA – Organização Cooperativa para o Desenvolvimento Integrado do Concelho de Odemira (representada pela presidente da direção, Telma Guerreiro, e vice-presidente da direção, Dora Guerreiro) e pelas empresas Haygrove Portugal, Unipessoal Lda (pela representante da empresa em Portugal, Mónica McGill), Lusomorango – Organização de Produtores de Pequenos Frutos, S.A (representada pelo presidente do conselho de administração, Luís Sobral Pinheiro, e pelo administrador Gil Manuel Brites de Oliveira), Multitempo – Empresa de Trabalho Temporário, Lda (representada por Cláudia Noivo, gestora de clientes), Sudoberry SA (representada pelo administrador Garry Mercer e pela farm manager Sofia Rosendo) e Vitacress Portugal, SA (representada pelo administrador Luís de Mesquita Dias e pela procuradora Maria Teresa da Costa e Castro).

O protocolo vai permitir a reativação da estrutura do CLAIM por um período de dois anos.

A Câmara de Odemira explica que «a implementação da missão do CLAIM no concelho de Odemira, tendo por base os objetivos definidos pelo Alto Comissariado para as Migrações, é da responsabilidade da TAIPA, contando com a colaboração e comparticipação financeira dos restantes intervenientes, no montante global de 62.144,04 euros, valor comparticipado em 50% pelo Município de Odemira, 25% pela empresa Lusomorango, e os restantes 25%, de forma equitativa, pelas restantes empresas».

Comentários

pub
pub