Falta de verbas ameaça projeto de escola que alerta banhistas para radiação UV

A partir do dia 1 de Agosto, se for à Praia da Rocha ou à Praia do Vau, em Portimão, […]

Praia 3A partir do dia 1 de Agosto, se for à Praia da Rocha ou à Praia do Vau, em Portimão, além de olhar para a bandeira verde, vermelha ou amarela, que indica o estado de agitação marítima, poderá também ver uma outra bandeira, para saber se deve manter a t-shirt vestida ou se deve colocar o chapéu na cabeça.

Isto, se o projeto “Há UV na Praia”, levado a cabo por professores e um ex-professor do Agrupamento de Escolas Manuel Teixeira Gomes, de Portimão, arranjar o financiamento que falta para avançar com esta iniciativa, que já viu o seu lançamento adiado por falta de verbas.

Através de uma bandeira e de um outdoor ou de uma aplicação móvel, os banhistas poderão saber qual o patamar de intensidade da radiação UV e quais os comportamentos de proteção que devem ser adotados.

Estação Meteo AEMTG
Estação Meteorológica do Agrupamento de Escolas Manuel Teixeira Gomes

Esta informação será recolhida pela estação meteorológica automática do Agrupamento de Escolas Manuel Teixeira Gomes que, há 15 anos, garante o registo das várias variáveis meteorológicas.

«Andamos a estudar os dados recolhidos e houve o “clique” de os passarmos para a comunidade. Sendo Portimão – e o Algarve – uma área de banhos, faz todo o sentido passarmos para a comunidade balnear a informação sobre o nível de radiação UV registado em determinado dia e quais as precauções que devem ser tomadas», explica Francisco Pereira, professor de Geografia e coordenador do projeto ao Sul Informação.

Além da informação que será disponibilizada indicar qual o nível de radiação UV, «haverá também a indicação do comportamento de proteção que deve ser tomado. Muitos destes comportamentos nós já adotámos: quando o nível de radiação é moderado, deve ser utilizado creme protetor e óculos de sol, quando é alto ou muito alto, mantêm-se os anteriores e reforça-se com t-shirt e chapéu de sol, nada de extraordinário», revela Francisco Pereira.

Haverá uma bandeira em forma de vela, que será instalada junto ao nadador salvador, bem como, junto do acesso de cada praia, um outdoor informativo sobre o projeto e sobre a perigosidade da radiação UV.

Neste outdoor estará também um código QR que permite descarregar a aplicação Android. «A aplicação dá a informação aos banhistas em tempo real, através de notificações, e também a bandeira que fica junto ao nadador-salvador é mudada, pelo menos, três vezes ao dia», acrescenta o responsável.

A classificação do iUV utilizada será a que é usada pelo IPMA-Instituto do Mar e da Atmosfera. Esta classificação identifica 5 patamares de intensidade da radiação UV e tipifica os comportamentos de proteção correspondentes.

Só que, apesar da utilidade e da inovação do projeto, há o risco de todo ele não passar à prática já em 2016, por falta de verbas.

uv na praia«O projeto era para ter arrancado a 1 de Junho, com o início da época balnear, mas não foi possível devido à falta de patrocínios. Agora prevemos que possa começar a 1 de Agosto», revela o responsável.

Segundo Francisco Pereira, «são necessários 2000 euros, para podermos ter um kit de bandeira e outdoor disponível para substituição, mas, se tivermos 1500 euros já se consegue avançar com o projeto “rés-vés Campo de Ourique”».

Atualmente, há três concessionários aderentes na Praia da Rocha – que colaboram financeiramente com o projeto – e, no caso da Praia do Vau, foi a Junta de Freguesia de Portimão que assumiu a comparticipação.

Foram também feitas parcerias com os Rotários da Praia da Rocha, com a Capitania do Porto de Portimão, com a Câmara Municipal de Portimão, com a Agência Portuguesa de Ambiente/Algarve e com uma empresa responsável pela comercialização e assistência técnica a sensores e a estações meteorológica (Quantific).

Segundo Francisco Pereira, a verba em falta, para que o projeto arranque no dia 1 de Agosto, terá de ser angariada até meados deste mês, devido aos timings de impressão na gráfica das bandeiras e dos outdoors. «Depois de tanto trabalho, custará muito termos de adiar o projeto só para o próximo ano», conclui o professor.

Além de Francisco Pereira, fazem parte do projeto os professores de Geografia do Agrupamento Isabel Pereira, Elsa Condeço, Catarina Pimenta, Ana Vicente e Isabel Baptista, o professor de Informática do AEMTG Mário Nogueira e ainda o professor de Artes Visuais da Escola Secundária Padre António Martins de Oliveira (Lagoa), também ele ex-professor do agrupamento de escolas portimonense.

Os potenciais interessados em apoiar esta iniciativa deverão contactar a Escola Secundária Manuel Teixeira Gomes, sede do Agrupamento.

Professor Francisco Pereira
geral@aemtg.pt
Telefone: 282450410
Fax: 282415049

Comentários

pub