Turismo de Natureza está a crescer e a Algarve Nature Week segue o exemplo

O Turismo da Natureza está em crescimento, na região algarvia, e, segundo o presidente da Região de Turismo do Algarve, […]

Algarve Nature Week 2016_2O Turismo da Natureza está em crescimento, na região algarvia, e, segundo o presidente da Região de Turismo do Algarve, «cria cada vez mais emprego e negócios».  Uma evolução que foi acompanhada pela Algarve Nature Week (ANW), que começou esta sexta-feira, em Quarteira, e dura até dia 22 de Maio, um pouco por toda a região.

A ANW começa com a Mostra de Turismo de Natureza, que proporciona um contacto direto entre a população em geral e as empresas do setor, que divulgam a sua oferta. Esta feira pode ser visitada até domingo no novíssimo Passeio das Dunas, situado entre a cidade de Quarteira e Vilamoura, junto à frente de mar. A feira abre às 10h00 e encerra às 19h00, hoje e no domingo, e às 20h00, amanhã, sábado.

Na verdade, a mostra está a estrear este novo espaço de fruição pública, que nasceu da requalificação e renaturalização parcial de uma zona que se encontrava muito degradada. Tanto que a inauguração oficial do Passeio das Dunas acontece só amanhã, sábado, numa cerimónia que contará com a presença do primeiro ministro António Costa.

Em Quarteira, a Mostra de Turismo de Natureza da Algarve Nature Week encontrou mais espaço para ocupar do que havia tido na primeira edição, que se realizou em 2015, no Parque Ribeirinho de Faro. A organização aproveitou e criou um recinto bem mais amplo, que convida a desfrutar deste novo parque de lazer.

No fundo, tentou-se juntar o útil ao agradável, já que, em 2016, são mais os expositores, as experiências sugeridas e, espera-se, serão mais os visitantes do que na edição de 2015, que atraiu 6 mil pessoas.

Desidério Silva e Vítor Aleixo na Algarve Nature Week 2016

«Com o sucesso da primeira edição, percebemos logo que este evento tinha pernas para andar. Em 2016, temos mais expositores, mais parceiros e mais experiências. Ainda assim, não podemos dar saltos muito grandes, de cada vez, pois temos de assegurar a qualidade e garantir que as coisas funcionam», segundo o presidente da RTA, entidade organizadora do evento.

Desidério Silva salientou a aposta que tem vindo a ser feita no Algarve para a estruturação do segmento do Turismo de Natureza, que já dá frutos, «uma vez que tem permitido criar emprego e demonstrado que há mais na região do que sol, praia e golfe».

Apesar do Sol e Praia e do Golfe serem os motores do turismo da região, podem e devem ser complementados com outra oferta. E, quando se refere o Turismo de Natureza, está-se a falar de “acrescentar”, já que permite atrair muita gente na época baixa, amenizando a sazonalidade.

«Esta é, em muitos casos, uma atividade que se desenvolve entre Outubro e Maio e, nestes últimos anos, temos notado que está a crescer. É um segmento muito diversificado, que proporciona experiências variadas e se espalham por toda a região, seja a Serra, o Barrocal ou a Ria Formosa. Combate a sazonalidade e pode ajudar a dinamizar a economia local», ilustrou.

Este impacto local, nomeadamente em terras que sofrem de interioridade, será a mais valia deste tipo de turismo, para o presidente da Câmara de Loulé Vítor Aleixo. O anfitrião da Algarve Nature Week de 2016 dirige os destinos de um concelho que acolhe alguns dos mais conceituados empreendimentos turísticos da região, voltados para o Sol e Praia e para o Golfe.

Mas o município de Loulé também tem um vasto território interior, onde a desertificação e o envelhecimento da população são um grave problema.

«Nós estamos a apostar nestas formas emergentes de turismo. Já notamos algum impacto no interior do Algarve, nomeadamente na área dos passeios de natureza, a pé ou de bicicleta. A Via Algarviana foi um primeiro fator de atração e teve um papel fundamental na chamada de atenção para esta riqueza. Mas esse foi apenas o princípio de uma era, que eu considero que é o futuro e está ainda por explorar», considerou o edil louletano.

Entre as virtudes apontadas por Vítor Aleixo a este «outro turismo» está o facto de ser «muito voltado para uma economia de base local, para a sustentabilidade e para o respeito pela natureza», salientando ainda a vertente de «promoção do convívio» que encerra.

Algarve Nature Week 2016_1

Apesar de haver um público diretamente interessado no Turismo de Natureza, a oferta acaba por ser transversal, já que muitos dos que visitam a região «procuram experiências diferentes». A Algarve Nature Week serve, precisamente, para dar a conhecer a oferta de Turismo de Natureza da região. Ao todo, há «cerca de 150 experiências à disposição», às quais os interessados podem aderir através do site do evento ou junto das empresas que estão presentes, nestes três dias, na Mostra de Turismo de Natureza.

Quem passar no Passeio das Dunas poderá ter o “gostinho” do muito que a Algarve Nature Week tem para oferecer. Fazer o batismo de mergulho, pegar numa bicicleta e dar um passeio, “surfar” numa prancha mecânica, participar em workshops de artes tradicionais proporcionados pelo projeto Loulé Criativo e encontrar muitos produtos regionais, entre os quais alguns produtos gastronómicos de excelência regionais.

Também se pode experimentar montar a cavalo ou subir para cima de um burro. A arte está presente, seja através das muitas esculturas de artistas algarvios que se espalham pelo recinto, seja nas fotografias da anterior edição do evento, que inspiraram uma exposição que estará patente ao longo dos três dias de evento.

Esta sexta-feira, além de muitos curiosos, boa parte deles estrangeiros, estiveram presentes na mostra alunos de escolas da região, desde os bem novinhos até aos mais velhos. E nem a forte chuvada conseguiu desmobilizar os visitantes, ainda que muitos tenham tido de se abrigar nas tendas espalhadas pelo recinto.

Hoje e nos próximos dois dias, há ainda a oportunidade de visitar este espaço. A “festa” segue depois, até 22 de Maio, em vários locais do Algarve e em contacto direto com a natureza.

Comentários

pub
pub