Está garantida a continuidade da Unidade Móvel de Saúde de Alcoutim

A Unidade Móvel de Saúde de Alcoutim tem a sua continuidade garantida. Para isso, foi assinado ontem um protocolo de […]

Assinatura do protocolo_ARSAlgarve e Câmara AlcoutimA Unidade Móvel de Saúde de Alcoutim tem a sua continuidade garantida. Para isso, foi assinado ontem um protocolo de colaboração entre a Administração Regional de Saúde do Algarve e a Câmara Municipal de Alcoutim, com o intuito de assegurar a operacionalidade da Unidade, para a prestação de assistência médica naquele concelho, nomeadamente, à população mais idosa e carenciada.

O protocolo de colaboração entre as duas instituições foi assinado pelos presidentes do Conselho Diretivo da Administração Regional de Saúde (ARS) do Algarve, João Moura Reis, e da Câmara Municipal de Alcoutim, Osvaldo dos Santos Gonçalves, na sede da ARS Algarve, em Faro.

Os profissionais de saúde vão deslocar-se na Unidade Móvel à casa dos utentes mais idosos do concelho para prestar apoio e cuidados de saúde primários, todos os dias úteis, das 12h00 às 16h00.

Numa primeira fase, a deslocação irá abranger a freguesia de Martim Longo, e, depois, a restante população da sede do concelho, numa «clara aposta do reforço dos cuidados de saúde de proximidade junto da população mais idosa e carenciada».

João Moura Reis destacou, durante a reunião, o papel neste processo da autarquia, que se tem empenhado para «assegurar os cuidados de saúde aos seus munícipes de forma adequada, eficiente e eficaz», destacando a importância de partilha de sinergias entre o poder local e central, no sentido de otimizar os recursos humanos, financeiros e materiais.

Por seu lado, o presidente da Câmara Osvaldo Gonçalves já tinha afirmado que o protocolo com a ARS Algarve «garante as condições para melhorar o serviço, adaptando e reorganizando o que o município já vinha disponibilizando, otimizando esta estrutura ao nível do planeamento de saúde e dos recursos humanos».

Assim, a resposta chega «a mais de uma centena de localidades dispersas, habitadas maioritariamente por idosos com patologias crónicas e com dificuldades de deslocação até aos serviços de saúde no concelho», garantindo-lhes o acesso a prestação de cuidados de saúde, acrescentou o autarca.

Esta unidade móvel está especialmente vocacionada para a prevenção, vigilância de saúde e auxílio na realização de consultas médicas domiciliares programadas pelo Médico de família (adultos, INR, Diabetes, HBA1C, Vacinas, etc.), bem como a prestação de cuidados de enfermagem à população mais idosa e com mais dificuldades de acesso aos Centros de Saúde.

A promoção da saúde e a prevenção da doença feita pelos profissionais de saúde (médico e enfermeiro) na Unidade Móvel de Saúde visa facilitar o acesso às consultas médicas domiciliárias programadas pelo Médico de família e aos cuidados de enfermagem.

Esta que foi o primeiro concelho do país a ter uma Unidade Móvel de Saúde a funcionar, num processo iniciado em 2008 pelo anterior presidente da Câmara, o médico Francisco Amaral, continua assim a poder disponibilizar este serviço aos seus munícipes.

 

Comentários

pub
pub