Taça da Liga: Portimonense vai a Paços de Ferreira para «entrar na história»

O Portimonense joga esta tarde, às 18h30, em Paços de Ferreira, a sua continuidade na Taça da Liga. No grupo C, […]

Festa dos jogadores do Portimonense
O capitão Ricardo Pessoa – Foto Nelson Inácio (arquivo)

O Portimonense joga esta tarde, às 18h30, em Paços de Ferreira, a sua continuidade na Taça da Liga. No grupo C, nenhuma equipa está em tão boas condições de seguir em frente. Um empate assegura o primeiro lugar no grupo, mas a equipa algarvia até pode perder e chegar às meias-finais, dependendo daquilo que o Sporting fizer em Arouca. Por tudo isto, o clima é de confiança em Portimão e o treinador José Augusto quer fazer história.

Na antevisão do encontro, José Augusto recordou que a passagem às meias-finais da Taça da Liga não é um objetivo, mas, dadas as circunstâncias, a ambição de chegar às quatro melhores equipas da prova é grande.

A eliminação «seria uma desilusão, mas o nosso objetivo foi alcançado, que era entrar nesta fase de grupos, para os jogadores terem que puxar dos galões, porque iam encontrar equipas de outro patamar. Mas, se me falarem de ambição, essa é mais forte, porque temos uma janela para criar um momento histórico no clube», disse.

No entanto, José Augusto realça as dificuldades que o clube algarvio tem enfrentado esta época. «Tenho de fazer uma gestão ao pormenor do plantel. Tenho muito pouco tempo de recuperação para os jogadores». Além disso, o Portimonense teve pela frente «uma viagem de mais de sete horas. Já perdi a conta aos quilómetros que temos feito, mas vamos com a nossa força mental».

Um dos jogadores que não teve tempo suficiente para recuperar é Ewerton. O herói da vitória com o Sporting viajou com a equipa, mas «está condicionado» e antes da hora do jogo é que haverá decisão sobre se vai entrar no relvado do Estádio da Mata Real.

Portimonense_Belenenses_Taça_15
José Augusto – Foto Nelson Inácio (arquivo)

O Paços de Ferreira já não pode seguir em frente, mas o treinador do Portimonense não espera mais facilidades por isso. «A quem pensa em facilitismos, as coisas correm mal. O plantel do Paços de Ferreira tem bastante qualidade. É verdade que vão gerir jogadores, porque têm um jogo em breve com um adversário direto, que é o Arouca, que vai jogar com o Sporting, e, se calhar, também vai jogar com outras linhas. Por isso, vamos jogar sem facilitismos e concentrados».

Quem deverá estar no relvado da Mata Real é André Carvalhas, que lidera a tabela de melhores marcadores da Taça da Liga, com quatro golos, três deles ao Arouca. O jogador diz que o plantel alvinegro «espera passar. Fizemos um grande jogo contra o Sporting, onde não estive, por castigo, mas isso prova a qualidade da equipa, sai um, entra outro, e a equipa não se ressente. Amanhã esperamos conseguir também a vitória».

No entanto, caso ela não seja possível, «sabemos todos os resultados possíveis para a passagem. A vitória chega, mas se empatarmos também, e, se perdermos, também poderá chegar. Vamos tentar jogar com isso tudo e trazer a passagem para o Algarve», acrescentou.

Depois de uma vitória histórica frente ao Sporting, o Portimonense, no “regresso” à Segunda Liga, perdeu em casa frente ao Aves, mas, para Lucas, «a derrota serviu para nos “acalmarmos”, para nos focarmos ainda mais e nos concentrarmos nos nossos erros. Essa derrota deixa-nos mais fortes!».

O jogador do Portimonense, que tem sido um dos mais regulares esta época, também lamenta as longas viagens que o plantel está obrigado a fazer ao longo da época, mas deixou o mote para a partida desta noite: «somos fortes, somos os Guerreiros do Sul e estamos preparados para tudo!».

 

Comentários

pub
pub