Portimonense consegue apuramento histórico após reviravolta em Paços de Ferreira

O Portimonense garantiu a passagem às meias finais da Taça da Liga depois de uma vitória por 3 a 2 […]

Festa dos jogadores do Portimonense
Festa dos jogadores do Portimonense

O Portimonense garantiu a passagem às meias finais da Taça da Liga depois de uma vitória por 3 a 2 tirada a ferros, esta terça-feira, no terreno de Paços de Ferreira.

Os algarvios estiveram a perder por 2 a 0, mas acabaram por conseguir a reviravolta, com alguma sorte à mistura. Para a história, fica a passagem da equipa de Portimão à próxima fase da competição, depois de uma Fase de Grupos em que só obteve vitórias.

O Portimonense entrou em campo com fortíssimas possibilidades de se apurar, já que nem sequer precisava de ganhar, desde que, contas feitas, não tivesse uma diferença entre golos marcados e sofridos menor do que o Sporting, que jogou à mesma hora em Arouca. Ainda assim, o ideal era, pelo menos, um empate, que garantia que a passagem.

Foto de Nélson Inácio
Foto de Nélson Inácio

A partida começou mal  para o Portimonense, que logo aos 6 minutos viu Roniel a colocar a equipa da casa em vantagem. O Portimonense pareceu acusar o golo acumulou erros e viu Jadson a acertar no poste da sua própria baliza, ficando muito perto de marcar na própria baliza.

Pouco minutos depois, o veterano Manuel José chutou já dentro da área fora do alcance do guarda-redes algarvio e colocou o Paços de Ferreira a vencer por 2 a 0. As contas complicavam-se, já que o Sporting, na teoria, precisava de cada vez menos golos para ser o semifinalista.

A partir da meia-hora, e já depois da entrada de André Carvalhas, o Portimonense melhorou e conseguiu reduzir a desvantagem antes do intervalo. Fidelis marcou aos 44 minutos, o que permitiu aos algarvios ir para o balneário um pouco mais tranquilos.

Na segunda parte, o Portimonense procurou controlar o jogo, até porque em Arouca se mantinha um nulo (o Sporting por ganhar por 1 a 0) e tudo jogava a seu favor, mesmo perdendo. Até ao golo do empate, as melhores oportunidades foram do Paços, que não conseguiu, ainda assim, ampliar a vantagem.

Um jogador pacense haveria mesmo de marcar, mas na própria baliza. Aos 71 minutos Cícero desviou um cruzamento de André Carvalhas para dentro da sua baliza e restabeleceu a igualdade.

O golo da vitória surgiu logo a seguir, aos 74 minutos, altura em que Fabrício marcou um livre direto de forma exemplar, sem hipóteses de defesa para o guarda-redes pacense. Até final, o Paços tentou chegar ao empate, mas os seus jogadores mostraram estar com a pontaria desafinada.

Esta foi uma vitória histórica para o Portimonense, que chega, pela primeira vez, a uma meia final desta competição. Na próxima fase, já sabe que irá encontrar o Marítimo, ficando a espera dos resultados dos jogos que ainda se irão realizar para conhecer os demais semifinalistas

Comentários

pub
pub