Velejador algarvio em Melbourne para lutar por vaga nos Jogos Paralímpicos de 2016

O velejador portimonense João Pinto, que pertence à equipa Vela Solidária / Iate Clube da Marina de Portimão, está em Melbourne, […]

11888003_891739160907222_1202425965209040516_nO velejador portimonense João Pinto, que pertence à equipa Vela Solidária / Iate Clube da Marina de Portimão, está em Melbourne, na Austrália, para representar Portugal no ParaSailing World Championship, que começa este sábado, e para lutar por uma vaga nos jogos Paralímpicos de 2016. Nas palavras do próprio, encontra-se «rumo ao sonho».

O atleta juntou-se à Vela Solidária «para responder à sua necessidade de se manter ativo, de ter sempre desafios a superar, através da competição, e de ser uma ajuda e um exemplo para outros que, como ele, têm alguma deficiência».

A experiência de vela de João Pinto remonta a 1994 quando, com 11 anos, se iniciou na classe Optimist. Até aos 20 anos, navegou de forma regular em diversas classes e campeonatos, quer nacionais quer internacionais.

11870631_881868278560977_2256786220092649535_nEm Novembro de 2011, João Pinto «teve um acidente de moto que o deixou paraplégico e, em 2013, através da Vela Solidária voltou a navegar e a mostrar que a determinação e resiliência são determinantes para o sucesso desportivo e pessoal», explica a equipa Vela Solidária, em nota enviada às redações.

João Pinto conta com vários resultados de destaque na Classe Access: já foi campeão nacional e vice-campeão europeu em 303 duplos e medalha de bronze europeia em 303 singulares.

Apesar dos bons resultados do atleta, em Melbourne, João Pinto vai ter dificuldades acrescidas, uma vez que o Mundial de Vela Paralímpica disputa-se numa classe nova para João Pinto – a 2.4mR -, na qual teve pouco mais de um mês de experiência.

Ainda assim, explica a Vela Solidária, «João Pinto foi convocado pela Federação Portuguesa de Vela para representar Portugal no ParaSailing World Championship e a responsabilidade é enorme, pois joga-se a possibilidade de se fazer história com uma participação nos Jogos Paralímpicos numa classe individual de vela».

O Mundial de Vela Paralímpica em Melbourne, conta com 51 barcos de 26 nações registados para competir, entre eles «os mais sonantes nomes da Vela Paralímpica, com medalhados para-olímpicos, campeões do Mundo e dos velejadores mais experientes em vela ligeira».

Por isso, João Pinto não pensa no título, mas em ocupar uma das vagas ainda em aberto para os Jogos Paralímpicos de 2016. Com oito nações já qualificadas para o Rio2016, sete lugares ainda estão disponíveis e 18 atletas competem pelos mesmos.

Comentários

pub
pub