Porto de Sines acolhe exportação inédita de 3700 bovinos vivos para Israel

A operação inédita com gado vivo, que contempla a exportação de cerca de 3.650 cabeças de gado bovino de proveniência […]

Navio HolsteinA operação inédita com gado vivo, que contempla a exportação de cerca de 3.650 cabeças de gado bovino de proveniência essencialmente alentejana para Israel, e que começou hoje no Porto de Sines, vai amanhã ser acompanhada pelo secretário de Estado da Alimentação e da Investigação Agroalimentar.

A operação decorre sob responsabilidade da PortSines, concessionária do Terminal Multipurpose de Sines (TMS), no cumprimento de todas as regras fitossanitárias e aduaneiras aplicáveis a esta operação especial, utilizando-se para o efeito o navio “Hostein Express”.

O movimento do gado vivo no sentido da exportação demorará cerca de 48 horas, largando o navio com destino ao porto de Haifa, em Israel.

Segundo nota do Ministério da Agricultura, trata-se da «primeira exportação de bovinos vivos para Israel, dada a recente abertura de mercado para este País, fruto da política de internacionalização do agroalimentar deste Governo».

Por outro lado, regista-se o facto de ser a primeira exportação de animais vivos a realizar a partir do porto de Sines, adaptado às circunstâncias de exportação de animais vivos. «Este é um acontecimento relevante para a internacionalização deste sector e para a economia nacional», o que motiva a presença do membro do Governo.

O envio presente de cerca de 3700 bovinos, com pesos que variam entre os 200 e os 600 quilos, num total de aproximadamente 1.400 toneladas de animais vivos, representa um negócio de quatro milhões de euros e só é possível face à recente abertura deste mercado para Portugal.

Esta é apenas a primeira fase deste negócio, uma vez que está já agendado para 15 de novembro, o embarque de mais 4500 animais, que, uma vez em Israel, serão abatidos cumprindo o ritual Judaico “Koscher”.

Todos os animais passaram pelo mais rigoroso protocolo sanitário, tendo estes sido adquiridos pela maior empresa no sector alimentar em Israel, que representando 70% do mercado daquele país, encara Portugal como uma origem de animais vivos da melhor qualidade.

«O facto de Portugal estar agora autorizado a exportar diretamente estes animais reveste-se de enorme importância para o país, uma vez que esta exportação era feita, até agora, por via marítima através e por Espanha, com perdas de rendimento para os agricultores portugueses, operadores e economia nacional», acrescenta o Ministério da Agricultura.

O “Hostein Express” é um navio especializado do tipo “livestock carrier”, construído no Japão e pertencente a um armador holandês “Vroon – Breskens”, que tem 110 metros de comprimento e 20 metros de boca.
A escala em Sines é agenciada pela empresa “Wilhelmsen Ships Services”, contando com “Iberolinhas Transportes, Lda” para o agenciamento da carga e com a Sitank no apoio logístico.

O TMS iniciou a sua exploração em 1992 em regime de concessão de serviço público à empresa Portsines e está vocacionado para a movimentação de granéis sólidos, carga geral e ro-ro.

Dispõe de fundos até 18 metros ZH e pode receber navios até 190.000 toneladas Dwt. A sua ligação ao hinterland, que inclui a região do Alentejo e sul de Espanha, é servida por ferrovia e por rodovia.

Segundo a Administração do Porto de Sines (APS), esta operação inédita tira partido da «versatilidade» do Terminal Multipurpose de Sines e das «excelentes condições para receber uma gama muito alargada de tipos de navios e de cargas».

Este terminal conta com uma área disponível para projetos futuros de 43.700 metros quadrados e tem a vantagem de ter a ZALSines contígua para apoio de serviços logísticos e aduaneiros de retaguarda.

Comentários

pub
pub