Olhanense Hélder Farroba entusiasmado por representar Portugal no Mundial de Esgrima adaptada

O esgrimista olhanense Hélder Farroba parte esta terça-feira, rumo à Hungria, para representar Portugal no Campeonato do Mundo de Esgrima […]

Hélder FarrobaO esgrimista olhanense Hélder Farroba parte esta terça-feira, rumo à Hungria, para representar Portugal no Campeonato do Mundo de Esgrima em Cadeira de Rodas. Esta é a mais importante competição mundial da modalidade, a seguir aos Jogos Paraolímpicos, e uma oportunidade para o atleta algarvio, de 44 anos, competir ao mais alto nível.

Poucas horas antes de iniciar esta jornada de cinco dias a Eger, a cidade húngara que acolhe o evento a partir de sábado e até dia 22 de Setembro, Hélder Farroba diz estar «um pouco ansioso», mas também entusiasmado por poder representar Portugal ao mais alto nível. Até porque vai encontrar os melhores esgrimistas do mundo na sua arma de eleição, o florete, e na sua categoria.

«O meu grande objetivo é passar a poule inicial, para a fase seguinte. Depois, vamos ver até onde consigo ir. Os adversários são todos muito experientes, quer em campeonatos do mundo, quer em campeonatos da Europa», ilustrou Hélder Farroba, atual campeão nacional de esgrima adaptada, em declarações ao Sul Informação. A prova do esgrimista olhanense disputa-se no dia 19 de Setembro, cujo resultado será revelado no site da competição (Foil Male – A).

Um conhecimento de causa ganho na primeira aventura fora de Portas, em 2009, altura em que participou noutro Mundial, em Valência (Espanha), não tendo passado, então, da primeira fase da competição.

Apesar de esta não ser a primeira “internacionalização” do esgrimista algarvio, acaba por ser uma das raras oportunidades que tem para competir. É que, em Portugal, não há um quadro competitivo regular.

«O Heldér tem sofrido um pouco, devido à falta de quadros competitivos em Portugal. Não existe um calendário regular e nem todos os anos se conseguem fazer provas nacionais. Houve uma este ano, em Cascais, mas já não se fazia há alguns anos. Daí que procuremos, sempre que possível, ir a eventos internacionais», ilustrou o treinador de Hélder e coordenador do clube Esgrimalgarve Marco Rojo.

Uma situação que irá mudar, na época que agora começa, já que o esgrimista português vai competir no Campeonato Nacional de Espanha, onde a modalidade está mais estruturada. «Isso será muito importante para mim, já que em Portugal tenho muito poucas oportunidades», ilustrou Hélder Farroba.

cad rodas 2015_1Isto implica a participação em três provas, ao longo da época, em três regiões distintas de Espanha. Ou seja, será preciso fazer grandes deslocações, com os custos que isso acarreta.

Este é um problema para o esgrimista de Olhão. Atualmente, o atleta «está desempregado,vive com a mãe e recebe uma pensão de invalidez de cerca de 280 euros», o que o impede de financiar as viagens e estadias que a competição implica.

«Ele têm-se esforçado bastante para entrar no mercado de trabalho e no ano passado apostou num curso de formação profissional, em Loulé, o que não foi fácil, devido à distância. Ainda lhe ofereceram um emprego em Silves, mas ele não pode aceitar, devido às duas dificuldades de mobilidade. Seria bom se conseguisse encontrar um emprego mais próximo, em Olhão ou em Faro», ilustrou Marcos Rojo.

Para participar no Campeonato do Mundo, recebeu uma «importante ajuda da Câmara de Olhão, que foi muito generosa», bem como contribuições «das Juntas de Freguesia de Quelfes e de Olhão, de empresas de Olhão, amigos e da população».

«Precisávamos de cerca de 3 mil euros, para levar o Hélder e um treinador da Esgrimalgarve, para o acompanhar. Não foi fácil, mas conseguimos, através de uma campanha que lançámos através do Facebook. Houve muita gente a contribuir», segundo o treinador.
Isto levanta questões para o atleta, que ainda não encontrou um patrocinador para esta aventura em Espanha. O apoio que já garantiu foi o da Federação Portuguesa de Esgrima, que cede o material necessário, «o que já é muito importante».

 

Olhão torce por Hélder Farroba

Campeonato do Mundo de Esgrima Cadeira Rodas 2015A verba que a Esgrimalgarve conseguiu angariar, em relativamente pouco tempo, denota bem o apoio que a sociedade Olhanense deu a esta iniciativa. «Só num mealheiro que colocámos numa café, conseguimos cerca de 200 euros», segundo Marco Rojo.

Da parte da autarquia olhanense, a principal financiadora desta viagem à Hungria, chegam palavras de incentivo a Hélder Farroba.
Numa nota de imprensa, o presidente da Câmara de Olhão António Pina deixou «votos de muito sucesso em nome de todos os munícipes, acreditando que o Hélder irá honrar a cidade e o País».

A esgrima adaptada está, de resto, bem integrada na sociedade olhanense. Já há muitos anos que esta modalidade é promovida na Escola EB 2,3 Dr. Alberto Iria, havendo, neste momento «dois esgrimistas a treinar regularmente».

«Este ano, vai começar a treinar uma menina de 12 anos, com uma perna amputada. Também há um outro praticante, mas que não treina com regularidade, pois ficou desanimado com a falta de quadros competitivos», segundo Marco Rojo.

Tendo em conta que as competições, a nível nacional, costumam contar «com sete atletas, num ano bom», estes números são bem significativos

«Hélder Farroba ficou paraplégico depois de um acidente de comboio sofrido em Faro em 1994, mas nunca baixou os braços e foi no Desporto que encontrou a força e o estímulo para continuar a sua vida. Antigo praticante de basquetebol em cadeira de rodas, foi na esgrima que granjeou maior destaque», ilustrou a autarquia olhanense.

Além de esgrima, também pratica, atualmente, andebol em cadeira de rodas.

Comentários

pub
pub