Cavala algarvia já se deixa cozinhar para conquistar o Sotavento

É um peixe que abunda nas águas portuguesas, tem excelentes caraterísticas nutritivas e é vendido a um preço muito acessível. […]

Cavala Algarvia na Feira da Dieta MediterrânicaÉ um peixe que abunda nas águas portuguesas, tem excelentes caraterísticas nutritivas e é vendido a um preço muito acessível. O projeto «Cavala Algarvia», do Centro de Ciências do Mar (CCMar), associado à Universidade do Algarve, quer agora mostrar que esta espécie também pode ser utilizada para confecionar pratos muito variados, alguns deles gourmet.

Os responsáveis por este projeto de promoção da cavala pescada ao largo do Algarve voltam à carga este fim-de-semana, com duas sessões de show cooking, em Faro e Vilamoura. Esta sexta-feira, às 19 horas, o chefe José Domingos vai estar no 1º Festival do Petisco Mediterrânico, que está a decorrer no Jardim da Alameda, em Faro.

No domingo, o chefe de cozinha convidado para dinamizar as iniciativas do «Cavala Algarvia» ruma a Vilamoura, para uma demonstração agendada para as 18h30. As receitas que forem confecionadas ao vivo serão, mais tarde, publicadas na página de Facebook do projeto, à semelhança do que aconteceu noutras ações similiares antes promovidas.

Estes são momentos de contacto com o público em geral, que acabam por ser a faceta mais visível deste projeto. Esta nova leva de demonstrações culinárias insere-se numa segunda fase da iniciativa do CCMar, que visa levar a promoção da cavala a toda a região algarvia, já que, num primeiro momento, o Cavala Algarvia ao Barlavento algarvio.

«Esta é uma extensão do projeto do Barlavento para o Sotavento, porque fazê-lo só lá não faria sentido. Muitas pessoas nos pediam para replicar este projeto na zona mais a leste da região, e com o Grupo de Ação Costeira do Sotavento, foi possível», explicou Jorge Gonçalves, coordenador do «Cavala Algarvia».

O responsável por este projeto do CCMar e o Nicolas Blanc, outros dos investigadores ligados ao projeto, estiveram à conversa com o Sul Informação e à Rádio Universitária do Algarve RUA FM, para falar sobre o Cavala Algarvia e dar a conhecer as próximas atividades que irão promover.

Projeto Cavala Algarvia«Esta é já a espécie mais importante, a nível nacional. Desde de 2012, a cavala é a espécie mais capturada em Portugal, em vez de ser a sardinha. E isto dá-lhe um valor evidente. Também é um peixe muito acessível. Além disso, e já no seguimento da primeira fase deste projeto, foi possível confirmar que as cavalas algarvias, especificamente, é uma das espécies mais ricas em ácidos gordos, a par da sardinha e do salmão», revelou.

Ou seja, a cavala dá cartas nas mais diversas áreas, e até pode dar um forte contributo à economia, mas é, ainda, um recurso «muito pouco aproveitado». Para mudar esta realidade, há que “explodir” noutra área que é, também, importante: a sua aceitação por parte dos portugueses como presença regular na sua dieta e uma maior aposta dos restaurantes neste recurso.

Os muitos show cooking que o projeto Cavala Algarvia tem vindo a promover, nos últimos dois anos, servem precisamente para demonstrar que há muitas maneiras de confecionar cavala, capazes de surpreender tanto os que nunca provaram este peixe, como aqueles que não são apreciadores do seu sabor.

«As pessoas, sobretudo, desconhecem. A cavala era confecionada, em regra, cozida com cebola e óregãos, que será o prato mais antigo. Há muitas pessoas que o rejeitam, incluindo eu (risos). E também há a cavala grelhada, que agrada a uns, e a outros não. O que pretendemos mostrar é que há muito mais que isto», segundo Jorge Gonçalves.

«Este peixe pode ser muito mais saboroso do que muitas pessoas pensam e é esse conhecimento que pretendemos passar às pessoas.

Esta campanha também se estende aos restaurantes e dos seus chefes de cozinha, «porque eles dão uma outra credibilidade ao produto». Estes profissionais «conseguem fazer maravilhas, mas também conseguem demonstrar que, de uma forma simples, se consegue confecionar um bom prato de peixe».

Neste caso, o ponto alto da divulgação desta espécie acontece na Semana da Cavala Algarvia, que já foi promovida, em 2014, na zona entre Albufeira e Aljezur, e será repetida entre os dias 17 e 25 de Outubro, entre Loulé e Vila Real de Santo António.

Cavala«Estamos agora a começar a fase de contactar os restaurantes. Tentamos angariar o maior número possível de estabelecimentos, para integrar no seu menu uma ou duas receitas originais de cavala, durante uma semana», segundo Nicolas Blanc, que está mais ligado a esta vertente do projeto.

Foi aqui que os elementos ligados ao projeto conseguiram ter uma melhor perceção do efeito que a campanha que promovem está a ter, já que, «não é possível ter dados sobre se a venda em restaurantes aumentou».

«Houve restaurantes que se sentiram ultrapassados pela forte procura. Ou seja, compraram uma determinada quantidade de cavala, até mais do que compravam habitualmente, e esgotaram-na ao almoço do primeiro dia. Como era sábado, não conseguiram mais para o jantar. Ou seja, houve a vontade de muitas pessoas de experimentar», ilustrou.

Até ao dia 16 de Novembro, Dia do Mar, data em que a Universidade do Algarve acolhe uma demonstração culinária,  haverá outros shows no Mercado Municipal de VRSA, a 26 de Setembro, e no Mercado Municipal de Faro, a 3 de Outubro.

Comentários

pub
pub