Bombeiros de Monchique receberam equipamentos, mas faltam ambulâncias

A Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Monchique fez 82 anos de existência no dia 3 de agosto, que foram […]

Bombeiros Voluntários Monchique (5)A Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Monchique fez 82 anos de existência no dia 3 de agosto, que foram comemorados com a entrega de equipamentos de proteção individual para os bombeiros da corporação. Da festa saiu também uma preocupação: a falta de ambulâncias; e uma garantia: a Câmara de Monchique vai tentar solucionar o problema em janeiro de 2016.

O primeiro ato de entrega de equipamentos do dia realizou-se no Intermarché de Monchique e resultou de uma campanha que decorreu entre 14 de maio e 14 de junho de 2015 nas lojas Intermarché, Bricomarché e Roady de todo o país. Foi uma iniciativa conjunta do Grupo «Os Mosqueteiros» e da Liga dos Bombeiros Portugueses, com vista à angariação de equipamentos individuais completos de combate a incêndios florestais intitulada «Juntos vamos equipar os nossos heróis».

Os fardamentos, compostos por botas florestais, luvas, cógula, fato de proteção florestal (calças e dólman), capacete e sweatshirt, foram distribuídos por 100 corporações de bombeiros do país através de um sorteio, que atribuiu aos BVM cinco desses equipamentos. Philippe Bourroux, proprietário e responsável pelo Intermarché de Monchique agradeceu «a todos os clientes a ajuda» numa «ação que é inteiramente merecida».

Bombeiros Voluntários Monchique (6)Durante a sessão solene, no quartel dos BVM,  foram entregues 23 equipamentos de proteção individual para combate a incêndios em espaços naturais resultantes da campanha «Barlagás e Gás Repsol juntos por uma causa – Vamos contribuir com um donativo para os Bombeiros Voluntários de Monchique» e também dos que foram adquiridos através da candidatura feita pela Comunidade Intermunicipal do Algarve (AMAL) ao QREN.

A Espiral de Vontades – Associação de Solidariedade Social, representada por Luísa Martins, entregou 74 calças, 50 dolmens, 77 t-shirts e quatro pares de botas, material obtido através da campanha de «recolha de tampinhas».

Foram ainda oferecidos 30 equipamentos de proteção individual para combate a incêndios urbanos e industriais pela Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Portimão e 64 casacos, 105 pares de calças, 40 capacetes, 32 pares de botas e 333 pares de luvas por Davide Costa para combate aos mesmo tipo de incêndio.

Por último, a realização de um jantar de solidariedade, organizado por Luciara Paiva, angariou verba suficiente para comprar 23 casacos de abafo.

Bombeiros Voluntários Monchique (1)José Gonçalo Silva, presidente da AHBVM, assume que «houve um reconhecimento por parte da sociedade civil pelo trabalho dos bombeiros» e admite que tem «uma situação operacional boa com algumas dificuldades logísticas e que a proteção aos indivíduos está razoavelmente assegurada», no entanto, adverte que a corporação «precisa de pessoas empenhadas, de elevada competência pessoal» mas que «com a paciência e boa vontade, tudo vai sendo ultrapassado».

Os bombeiros estão equipados, mas… precisam de ambulâncias
A entrega destes equipamentos é, para Rui Lopes, 2º comandante dos BVM, «a prova clara que as pessoas individuais e coletivas de Monchique reconhecem o papel dos bombeiros». No entanto, Rui Lopes considera ser necessário «aumentar o efetivo de pessoal e a frota de ambulâncias». A preocupação também é partilhada por José Gonçalo Silva uma vez que «a ambulância de transporte mais nova tem 500 mil quilómetros».

Rui André, presidente da Câmara Municipal de Monchique, assumiu que a autarquia não tem «capacidade para comprar uma ambulância até final do ano», mas lançou «o desafio para que, nos próximos três meses, possamos preparar a aquisição dessa ambulância para que logo no 1.º mês de 2016 seja entregue».

Bombeiros Voluntários Monchique (2)O autarca assumiu esse compromisso, mas apelou à população para fazer «uma recolha para mais uma ambulância».

Construção do Centro de Recursos e Proteção Civil aguarda novo Quadro Comunitário

Rui André anunciou ainda na cerimónia que o Centro de Recursos e Proteção Civil «já tem projeto feito e no novo Quadro Comunitário, vamos construí-lo». A nova valência, que vai aumentar a «capacidade para mais meios aéreos e logísticos,  tem um investimento previsto de meio milhão de euros.

Para além disso, o autarca revelou que vai ser efetuada uma candidatura ao novo quadro comunitário «para equipar os serviços regionais de Proteção Civil, dado que temos deficiência em máquinas de arrasto e equipamentos».



Comentários

pub
pub