Barra Energética de Querença já está à venda e prepara versão sem glúten

A Barra Energética de Querença (BEQ) já pode ser comprada, ainda que apenas na cidade Loulé, na aldeia louletana que […]

Barra Energética de Querença à venda_2A Barra Energética de Querença (BEQ) já pode ser comprada, ainda que apenas na cidade Loulé, na aldeia louletana que lhe dá nome ou por encomenda.

Desenvolvida na Universidade do Algarve, em parceria com o Projeto Querença e empresários locais, esta barra energética à base de produtos naturais típicos da região, como a alfarroba, a amêndoa, o figo e o mel, chegou agora à fase de comercialização, depois de diversos testes de sucesso, nomeadamente junto de desportistas e amantes de atividades ao ar livre.

O lançamento oficial da BEQ foi feito durante o evento Corrida Vertical, que se realizou em Quarteira, há cerca de uma semana. Desde então, é possível adquirir a barra na loja da empresa ProActiveTur, em Loulé. As barras são vendidas em caixas de dez, que custam 10 euros (1 euro por barra).

Em breve, será criado novo ponto de venda em Querença, em «local a definir», além de estar a ser desenvolvido um site para venda da BEQ. Na sede da ATR, em Querença, também é possível adquirir a barra, mas a associação não tem horário de funcionamento fixo.

O Sul Informação esteve em Loulé para conversar com Romilson Brito, o engenheiro alimentar que desenvolveu a barra, com João Ministro, o responsável pela ProActiveTur, e com Bruno Rodrigues, da Associação Algarve Trail Running.

Bruno Rodrigues: “Queremos passar, lentamente, de uma produção artesanal para uma mais industrializada. Neste momento, a nossa produção andará nas 600 barras por semana”

Enquanto ultimam os preparativos para produzir mais um lote de barras energéticas, os três empreendedores contaram os mais recentes desenvolvimentos desta aventura em que embarcaram.

«O lançamento correu bem. Tivemos uma banca, juntamente com a Algarve Trail Running, e vendemos várias caixas aos participantes. Foi a primeira vez que expusemos as barras para venda e tivemos boa aceitação», contou Romilson Brito.

«Nós, da Algarve Trail Running, estamos de momento a fazer a comercialização da barra. Damos cabo do stock todo de barras (risos)…mas pagamos!», brincou Bruno Rodrigues, fundador daquela associação.

«Temos recebido contactos de eventos, de lojas da especialidade, nomeadamente de dietética e produtos nutricionais. E muitos caminhantes, também. Ainda ontem [dia 6 de Agosto] enviámos uma caixa para um caminhante do Porto», revelou.

Alguns dos praticantes de caminhadas que vierem a calcorrear a Via Algarviana também vão ter a oportunidade de provar a BEQ. «Nós oferecemos um kit de boas vindas a todos os nossos clientes e vamos passar a incluir uma barra energética», revelou João Ministro, que leva, anualmente, muitos turistas à via pedestre que atravessa o interior do Algarve.

Barra Energética de Querença à venda_1Nesta fase, os promotores da BEQ querem dar passos seguros e estão «a começar devagarinho». «Queremos passar, lentamente, de uma produção artesanal para uma mais industrializada. Neste momento, a nossa produção andará nas 600 barras por semana», revelou Bruno Rodrigues.

Apesar de não terem mãos a medir, com tantas solicitações, as ideias continuam a surgir e a ser trabalhadas. Uma que está em “ponto de rebuçado” é a da criação de uma versão da BEQ sem glúten.

«Esta versão ainda não foi lançada, mas será o próximo passo. Para a conseguirmos, temos apenas de trocar um ingrediente por outro. Esta barra, à partida, tem uma quantidade muito baixa de glúten», explicou Romilson Brito.

O problema residia em encontrar um fornecedor do ingrediente necessário, sem glúten, algo que foi conseguido no final da semana passada, segundo João Ministro. A ideia é atingir os consumidores intolerantes a esta substância, alargando o público-alvo.

 

Barra Energética de Querença é fruto de várias parcerias

Barra Energética de Querença e os seus ingredientes baseA história da BEQ é bem antiga, mas só recentemente se conseguiu obter uma fórmula com a consistência ideal. Um trabalho levado a cabo por Romilson Brito, primeiro como projeto de estágio no curso de Engenharia Alimentar da UAlg e, mais tarde, com uma ligação mais direta ao Projeto Querença.

Foi através desta última iniciativa, que pretende atrair jovens empreendedores para o interior do concelho de Loulé e promover a criação de novos negócios nesta zona de baixa densidade, que Romilson Brito encontrou os parceiros necessários para dar este passo em frente e tirar a barra do laboratório, para a colocar no mercado.

A empresa ProActiveTur, a associação de Trail Running do Algarve e o empresário Michael Guerreiro, acreditaram nesta ideia e estão a ajudar o jovem engenheiro alimentar a estruturar este produto. As duas primeiras empresas estão a ajudar no desenvolvimento do produto e na sua comercialização.

Já Michael Guerreiro é o proprietário da panificadora e pastelaria de Loulé Fábrica da Amêndoa, onde a Barra é produzida. Antes de chegar à fase de comercialização, foi criada uma marca e uma imagem para a Barra, da responsabilidade de Luís Caracinha, e apurada a informação nutricional do produto, um passo indispensável à sua comercialização.

Comentários

pub
pub