«Ensemble Moçarabe» anima final de tarde de quinta-feira no Castelo de Silves

O grupo musical «Ensemble Moçarabe» vai estar no Castelo de Silves na quinta-feira, como convidado especial de nova edição da […]

O grupo musical «Ensemble Moçarabe» vai estar no Castelo de Silves na quinta-feira, como convidado especial de nova edição da iniciativa «Sunset Secrets – Quintas do Castelo», que decorre entre as 18h30 e as 23 horas.

Os músicos Eduardo Ramos e Rui Afonso vão apresentar um repertório que passa pela música árabe, mas também pelas sonoridades medievais ibéricas, entre outras influências, num concerto que começa às 19h30.

O concerto terá duas partes e, durante o intervalo, decorrerá uma demonstração gastronómica. Após o espetáculo muiscal, há espaço para a dança, com uma performance de dança oriental e de fusão por Mónica Pereira.

Este evento, organizado pela Câmara de Silves, convida a «aproveitar o fim de tarde com momentos musicais essencialmente ligados à world music». Além de música, o público também pode desfrutar de «massagens de relaxamento e apreciar demonstrações gastronómicas de produtos locais, acompanhadas de bons vinhos algarvios».

Os bilhetes custam 5 euros, para o público em geral, mas os residentes de Silves só pagam 2 euros, desde que apresentem comprovativo de que moram no concelho.

Para mais informações, contactar o sector de Turismo do Município de Silves, através do telefone 282 445 624 ou do email turismo@cm-silves.pt.

 

Sobre os elementos do «Ensemble Moçarabe»:

Eduardo Ramos é cantor, compositor e toca alaúde e outros instrumentos árabes, portugueses e africanos. Músico autodidata, começou a sua carreira a tocar música tradicional portuguesa e algum rock-jazz, assim como música africana. Participou em inúmeros espetáculos em Angola, Espanha, Bélgica e Alemanha. Através da Câmara Municipal de Mértola marcou presença no “Oralidades” (programa da União Europeia), onde atuou na cidade de Birgu em Malta, em Ourense na Galiza e em Sliven na Bulgária.

Atualmente, Eduardo Ramos dedica-se ao estudo e interpretação da música medieval ibérica do séc. XIII, assim como da música árabe e da dos judeus sefarditas do Ocidente e Oriente, sendo um dos precursores da divulgação deste universo musical em Portugal. Eduardo Ramos tem tocado por todo o país em concertos que se realizam em igrejas, museus, bibliotecas e em espaços como o Centro Cultural de Belém, Mosteiro dos Jerónimos, entre outros.

Atua também em feiras medievais – de que Silves, cidade onde reside, é o destaque, já que este ano é, inclusivamente um dos rostos de promoção do evento – e outras ações dedicadas a noites árabes, tendo participado em vários programas da televisão portuguesa e com destaques em rádios, jornais e revistas.

Tem seis álbuns gravados, sendo os três últimos dedicados à música medieval, sefardita e árabe. Formou o grupo musical “Ensemble Moçárabe”, dando concertos por todo o país. Tem tocado com grandes músicos como Rão Kyao, Raimundo Engelhartdt, Pedro Jóia, Paulo e Joaquim Galvão, João Pedro Cunha, Bruna Mélia, Tuniko Goulart, Vilma Keutcharian, Baltazar Molina, entre outros.

Rui Afonso, convidado de Eduardo Ramos, toca percussões árabes como a derbuka, o bendir, o adufe e o rik. Fundou o grupo de música árabe “Al Driça”.

Comentários

pub