Câmara de Faro vende antigo Magistério Primário por 1,7 milhões de euros

A Câmara Municipal de Faro acaba de anunciar que vendeu hoje, em hasta pública, o complexo composto pelo edifício do […]

antigo magistério primárioA Câmara Municipal de Faro acaba de anunciar que vendeu hoje, em hasta pública, o complexo composto pelo edifício do Antigo Magistério Primário, seus logradouros e anexos e ainda o edifício que alberga alguns serviços municipais, também na Rua Domingos Guieiro, pelo valor de 1,7 milhões de euros.

O “magistério”, também conhecido por Casa Domingos Guieiro, é um edifício setecentista que há muito se encontrava devoluto e em mau estado de conservação.

Segundo a autarquia, «o seu futuro deverá passar pela reconversão em unidade de hotelaria e restauração de grande qualidade, que deverá contribuir para qualificar ainda mais o centro histórico – área da cidade que vai conhecendo um período de grande dinâmica económica e que atrai cada vez mais visitantes e residentes».

Esta é a quarta tentativa de vender o edifício em hasta pública, desta vez coroada de êxito.

A base de licitação, desta vez, era de 1 milhão de euros. Segundo a edição online do Público, no local da hasta pública estiveram três interessados, tendo João Rodrigues, empresário do setor dos vinhos e um dos três maiores accionistas da SAD do Farense, acabado por fazer a maior licitação, que garantiu a compra.

Para o Município esta é, «naturalmente, uma notícia feliz», pois, além de «uma importante receita extraordinária», a venda «permite ao edifício ganhar uma nova vida, depois de longos anos de inatividade, dando seguimento a um processo de revitalização de toda a Cidade Velha e da Baixa de Faro, claramente em curso».

Hasta publica Magisterio PrimarioPor outro lado, a autarquia considera também que «este é também um importante indicador da revalorização em alta do território do concelho o que, conciliado com o clima de maior confiança económica que se respira, veio a permitir que, à quarta tentativa desde 2010, o Município tenha conseguido alienar este imóvel, para benefício de toda a comunidade».

O quintal do Magistério Primário está a ser usado, desde ontem, por um coletivo de associações culturais algarvias, como espaço cultural, com um vasto programa a decorrer durante o Verão.

 

Notas históricas sobre o Magistério Primário

Também conhecido como Casa de Domingos Guieiro, este edifício notável de Faro “ocupa o gaveto da Rua Domingos Guieiro e do largo D. Afonso III. Supõe-se que aqui esteve instalada a sede do primeiro Governo civil do Algarve. Nos finais do Séc. XIX, pertenceu a Domingos Guieiro e, após a sua morte, em 1913, passou para a Santa Casa da Misericórdia. A partir dos anos 50 [do Séc. XX] funcionou nela a Escola do Magistério Primário (…).
A fachada remonta à segunda metade do Séc. XVIII, tendo o restante edifício sido profundamente remodelado por Domingos Guieiro.
É ainda de realçar o vasto quintalão e o torreão, que servia de vigia dos barcos, que regressavam da pesca do atum e que através de sinalização, informavam a quantidade obtida.”
A Escola do Magistério Primário de Faro abriu em meados da década 40 do Séc. XX e fechou portas em 1988, quando a atividade se transferiu para a Escola Superior de Educação de Faro.

(in Faro, “Edificações Notáveis”, Prof. António Lameiras – Faro, 1997)

Comentários

pub