Trabalhos de alimentação artificial da Praia da D. Ana arrancam esta segunda-feira

Vão arrancar esta segunda-Feira, dia 13 de abril, os trabalhos de alimentação artificial da Praia da D. Ana, em Lagos, […]

paisagem panorâmica da praia da Dona AnaVão arrancar esta segunda-Feira, dia 13 de abril, os trabalhos de alimentação artificial da Praia da D. Ana, em Lagos, previstos no Plano de Ordenamento da Orla Costeira (Burgau -Vilamoura).

A Câmara de Lagos recorda que o início das obras remonta a 2009, mas estas foram suspensas, uma vez que o projeto necessitou de ser revisto e, só agora, na sequência da obtenção do visto prévio do Tribunal de Contas relativamente ao contrato da empreitada, a Agência Portuguesa do Ambiente informou o Município de que está em condições de proceder à consignação da obra já no próximo dia 13 de abril.

Destinada a proteger as arribas da erosão provocada pela ação das marés, esta intervenção irá ter um custo estimado de 1,8 milhões de euros, prevendo-se que a utilização da praia fique condicionada até ao dia 15 de junho.

Os trabalhos implicarão, também que os acessos e a circulação automóvel naquela zona fiquem, por isso, temporariamente condicionados.

Após as ações preparatórias, os trabalhos irão iniciar-se pela construção de uma estrutura de retenção lateral entre a arriba do limite Norte da praia da D. Ana e o leixão maior dos Artilheiros, seguindo-se a operação de enchimento da praia por bombagem de cerca de 140 mil metros cúbicos de areia.

No final desta obra, a largura do areal da Praia da D. Ana ganhará cerca de 40 metros, permitindo por isso mais espaço para os muitos turistas que a procuram, bem como a criação de uma zona de segurança imperativa junto às arribas.

Esta intervenção é considerada pela Câmara como «indispensável à proteção da frente de mar e à segurança dos utilizadores desta zona balnear de excelência do concelho de Lagos».

A presidente da Câmara Municipal de Lagos e o diretor regional da Administração da Região Hidrográfica do Algarve reuniram-se este sábado, 11 de Abril, com os proprietários, gestores e administradores dos empreendimentos turísticos (de hotelaria e restauração) da zona, para dar a conhecer o objetivo da intervenção, as entidades responsáveis pelo projeto e pela execução da obra, assim como os possíveis impactos da sua realização.

Afirmando-se «ciente de que esta obra irá provocar alguns inconvenientes, mas convicta de que é absolutamente indispensável para a viabilidade e continuidade da praia da D. Ana como praia de eleição e cartaz turístico de Lagos», a Câmara apela à «compreensão e colaboração de todos», e lembra a existência, «nas proximidades, de praias de semelhante beleza e que poderão servir de alternativa».

Comentários

pub
pub