Câmara de São Brás recuperou o Poço da Madruga, em Parises

O Poço Madruga, no sítio de Parises, foi reinaugurado na terça-feira, depois da obra de reabilitação e valorização ambiental de […]

Poço Madruga_Parises2O Poço Madruga, no sítio de Parises, foi reinaugurado na terça-feira, depois da obra de reabilitação e valorização ambiental de que foi alvo, no âmbito do projeto «Memórias da Terra – da Fonte Velha ao Poço Novo», que a Câmara de São Brás de Alportel está a levar a cabo.

A obra consistiu na recuperação do conjunto poço/fonte, bem como dos pavimentos circundantes e dos muros de pedra, e incluiu a plantação de espécies arbóreas no local.

Durante as obras de requalificação foi ainda integrada a marcação no início do trajeto de acesso ao poço e remodelado o caminho de pedra, para melhorar as condições de acesso e a usabilidade do espaço.

Esta pequena fonte férrea, situada na Serra do Caldeirão, a cerca de 18 quilómetros da vila de São Brás de Alportel, situa-se «no sopé de um vale frondoso» e era, em «em tempos idos, a única forma de abastecimento de água da população local residente».

«O caminho de acesso está pavimentado com lajes de xisto, sinal da importância que era atribuída à estrutura e guarda a memória da antiga ligação à vila de São Brás, recentemente valorizada com a criação de uma ligação pedestre da Via Algarviana», descreveu a autarquia são-brasense, numa nota de imprensa.

Esta é mais uma marca deixada pelo projeto de valorização do património «Memórias da Terra», lançado por ocasião do centenário da elevação de São Brás a concelho, que será comemorado até junho de 2015.

«São Brás de Alportel continua a renovar estes bonitos lugares com história, para manter viva a identidade cultural do território. Escondidos no coração da Serra do Caldeirão, há recantos que guardam segredos, escritos em tempos imemoriais, são valiosos tesouros, legados pelo Passado, que importa defender e dar a conhecer», ilustrou a Câmara.

Comentários

pub
pub