Estratégia nacional de aproveitamento do mar passa pela UAlg e pelo Algarve

A Universidade do Algarve e a região estão «na primeira linha», a nível nacional, para ajudar o país a aproveitar […]

ualg1A Universidade do Algarve e a região estão «na primeira linha», a nível nacional, para ajudar o país a aproveitar melhor o mar e, em consequência, a melhorar a economia do país.

Foi esta uma das ideias que ficou do seminário “A Clusterização do mar e as atividades no mar”, organizado pela Comissão Parlamentar da Agricultura e do Mar, que reuniu ontem, na Universidade do Algarve, especialistas da área que, juntamente com os deputados, debateram o futuro do setor.

Em conversa com o Sul Informação, o presidente da Comissão Parlamentar da Agricultura e do Mar realçou isso mesmo: «a Universidade e o Algarve e o próprio Algarve têm um papel preponderante no desenvolvimento das atividades económicas ligadas ao mar».

«Além da investigação que aqui tem sido feita, há vários exemplos de empresas, muitas delas ligadas à academia, que a curto/médio prazo vão apresentar resultados e isso coloca a região na primeira linha desta estratégia nacional assumida de nos “voltarmos para o mar”», acrescentou Vasco Cunha, deputado do PSD.

seminarioualg-1024x695O reitor da Universidade do Algarve congratulou-se com a realização deste seminário no Campus de Gambelas, uma ideia que surgiu na altura em que foi realizada a primeira edição, no Parlamento. «Foi uma iniciativa da Comissão Parlamentar que falou comigo sobre esta possibilidade quando foi realizado o primeiro seminário deste género, em Lisboa», disse ao Sul Informação.

Para António Branco, «quando se fala de mar e investigação nesta área, fala-se da Universidade do Algarve. 80 por cento do conhecimento produzido nesta academia é relacionado com o mar, e a nível nacional também somos a Universidade com maior conhecimento produzido nesta área. O mar e os estudos sobre o mar são também das linhas mestras deste mandato. Acaba por fazer todo o sentido que este seminário se realizasse aqui».

Mas a Universidade do Algarve não quer apenas produzir investigação sobre as atividades no mar nos cursos diretamente relacionados com este recurso.

«É possível alargar o campo temático a outras áreas do saber como as artes ou a engenharia», explicou o reitor.

No entanto, António Branco alerta para um problema para o qual considera importante a oportunidade de convívio com membros do parlamento. «Há questões mal resolvidas a nível da transferência do conhecimento que é produzido nas universidades. Nem sempre há interlocutores entre os investigadores e os empresários. Os investigadores não estão vocacionados para transmitir este conhecimento».

ualg2Para o reitor, a solução passa por «uma estratégia nacional que seja centrada neste problema e promova a presença de mais estudantes em ambiente empresarial para criar novos quadros. Esta é uma questão essencial, que tem de ser resolvida. E esta foi uma boa oportunidade para alertar os decisores para esta questão».

Também Cristóvão Norte, deputado do PSD eleito pelo círculo eleitoral de Faro e membro da Comissão da Agricultura e do Mar, realça a importância do Algarve e da Universidade numa estratégia nacional de aproveitamento do mar.

«A presença aqui hoje foi consensual na Comissão e empenhei-me politicamente para que isso acontecesse. Esta região e a sua universidade são fundamentais para o desenvolvimento económico nacional com o capital científico aqui produzido sobre este recurso», disse o parlamentar algarvio.

ualg3

Comentários

pub
pub