Judiciária apreende 1300 quilos de cocaína no Sotavento algarvio

A Polícia Judiciária apreendeu cerca de 1300 quilos de cocaína, numa operação levada a cabo na zona do Sotavento algarvio, […]

Cocaína Apreendida PJ e CNP Setembro 2014_1A Polícia Judiciária apreendeu cerca de 1300 quilos de cocaína, numa operação levada a cabo na zona do Sotavento algarvio, perto da fronteira com Espanha. Esta é uma das maiores apreensões desta droga pesada efetuada, este ano, na Europa, e é, «certamente, a maior dos últimos anos, em Portugal», segundo o diretor da unidade territorial do Sul da PJ Luís Mota Carmo.

Na operação, fruto de uma colaboração entre a Diretoria do Sul da PJ e o Corpo Nacional de Polícia de Espanha, foram ainda detidas nove pessoas: os três homens que transportavam a droga, noutros tantos carros, ainda em território nacional, e mais seis pessoas, em Espanha, nas zonas de Huelva e Sevilha.

Dos detidos, sete eram espanhóis (seis homens e uma mulher) e dois eram marroquinos, que tinham residência oficial na Holanda. Em conjunto, «formavam uma organização que se dedicava ao tráfico de estupefacientes», cujos elementos centrais as duas forças policiais acreditam ter detido.

Os detalhes desta operação foram avançados esta quarta-feira numa conferência de imprensa conjunta da PJ e do Corpo Nacional de Polícia (CNP), que juntou Luís Mota Carmo e Cirilo Durán, chefe superior do CNP de Múrcia.

Luís Mota Carmo e Cirilo DuránNo encontro com os jornalistas, Luís Mota Carmo revelou que a droga apreendida era pura, o que significa que a quantidade de droga que iria ser vendida, no final da cadeia, seria «duas ou três vezes superior», já que a droga ainda seria “cortada”.

Já Cirilo Durán estimou que o valor da venda da droga, ao consumir final, pudesse atingir «os 80 milhões de euros», no país vizinho, números semelhantes, no que diz respeito a Portugal.

Números indicativos, como salientaram ambos os responsáveis, já que esta droga se destinaria, na sua larga maioria, a ser vendida em países do Norte e Centro da Europa. Portugal seria, ao que tudo indica, apenas o ponto de entrada da cocaína, que estava já a ser transportada para Espanha, quando a apreensão foi feita.

Segundo o responsável pela Diretoria do Sul da PJ, os muitos fardos de droga que estavam empilhados numa das salas da sede da instituição, em Faro, foram encontrados não apenas nas viaturas, mas também num armazém, situado na zona do Sotavento, em local que Luís Mota Carmo não quis revelar.

A investigação que permitiu fazer esta «significativa» apreensão começou há mais de um ano, em Portugal. Mais tarde, a PJ e o CNP entraram em contacto e perceberam que estavam a investigar a mesma rede e uniram esforços para a desmantelar.

Cocaína Apreendida PJ e CNP Setembro 2014_2A partir daqui, a investigação centrou-se em apanhar os suspeitos em flagrante delito e apreender uma quantidade significativa de droga, o que acabou por acontecer.

Do outro lado da fronteira, o Corpo de Polícia nacional esperou pelo avanço da operação em Portugal, para proceder, de imediato, à detenção dos restantes elementos da rede já identificados, que estavam a ser vigiados há muito.

Cirilo Durán fez, de resto, questão de salientar a disponibilidade da PJ em colaborar com as autoridades espanholas. Uma cooperação que terá sido determinante para o desfecho da operação, já que os elementos do grupo sentir-se-iam «seguros em Portugal, por não desconfiarem que a polícia portuguesa também os estava a investigar».

Ambos os responsáveis consideraram, ainda, que «este caso é um exemplo daquilo que deve ser a cooperação internacional», entre forças policiais.

 

Comentários

pub
pub