CASA promove Gala para poder apoiar «cerca de mil pessoas diariamente»

A “CAuSA” é boa e ajuda aqueles que mais precisam, os artistas bem conhecidos e há muito espaço para assistir […]

A “CAuSA” é boa e ajuda aqueles que mais precisam, os artistas bem conhecidos e há muito espaço para assistir ao espetáculo. Tudo isto são razões para reservar a noite de amanhã, sábado, para estar presente na II Grande Gala Abraça a CAuSA, uma iniciativa que a CASA – Centro de Apoio ao Sem Abrigo promove no Teatro das Figuras, em Faro, a partir das 21 horas.

A ideia é angariar fundos para o trabalho que a Instituição Particular de Solidariedade Social leva a cabo no Algarve, que se torna cada vez mais necessário, com o prolongar da crise económica. Atualmente, o número de utentes que precisam da ajuda permanente da CASA já se encontra na casa do milhar.

Para ajudar, basta marcar presença e comprar o bilhete, que custa 10 euros para o público em geral e 5 euros para crianças até aos 12 anos (menores de 3 anos não pagam). Os ingressos podem ser adquiridos no Espaço Himalaias ou na bilheteira do Teatro das Figuras.

«Nós temos de prestar cada vez mais apoio aos nossos utentes e esta Gala pode ajudar-nos a arranjar os meios para o fazer. Neste momento, estamos a apoiar cerca de mil pessoas, diariamente», revelou o representante da CASA e responsável pela organização da Gala Eduardo Almeida, numa entrevista à Rádio Universitária do Algarve Rua FM (102.7 FM).

E, apesar da CASA dar um enfoque especial aos sem abrigo, não é apenas esta franja da população que recebe apoio. Atualmente, há utentes da CASA que até há pouco tempo tinham as condições mínimas para viver, mas acabaram por precisar de ajuda devido a perdas súbitas de rendimento, entre os quais estudantes universitários, que passam dificuldades para poder continuar os seus estudos.

«Neste momento, acho que a classe média desapareceu. Existe a classe alta e a classe baixa. E nós temos vindo a ajudar cada vez mais utentes, que nos vão contactando. Temos um protocolo com a Associação Académica e vimos dando apoio alimentar a alguns alunos», revelou Eduardo Almeida, antigo presidente da AAUAlg.

O evento de amanhã é uma das formas encontradas pela CASA de financiar o esforço que vem fazendo, para acudir a estas situações de emergência social. Todos os fundos revertem a favor da causa, já que os artistas também aceitaram estar presentes imbuídos de espírito solidário.

E o cartaz conta com artistas bem conhecidos, com Tim, o vocalista dos «Xutos & Pontapés» à cabeça, mas também com os farenses «Nome», uma das bandas algarvias com maior projeção da atualidade. O programa da festa fica completo com Retro Nova, os fadistas Sara Gonçalves e César Matoso, bem como Virgílio Lança e Miguel Drago, na Guitarra Portuguesa.

«Alguns artistas ainda estão abertos a este tipo de iniciativas. Ao organizar esta gala, apercebi-me que há cada vez mais eventos solidários, mas ainda existe muito boa vontade por parte dos artistas em se associar», contou Eduardo Almeida.

Esta Gala, bem como outros apoios que surgem, permitem à CASA dar auxílio, mas também projetar um serviço mais completo para os seus utentes, no futuro.

«Temos vários projetos com que queremos avançar. Um deles é o espaço Casa Solidária, onde pretendemos, desde logo, conseguir a ocupação a tempo inteiro dos nossos utentes mais carenciados, para que possam usufruir de proveitos económicos através do seu trabalho e integrar-se melhor na vida ativa», revelou.

A CASA também quer garantir «a existência permanente de um apoio social que garanta a proteção nos domínios de primeira necessidade, como a alimentação, a higiene, o alojamento e apoios técnicos especializados».

E se o dinheiro é preciso, igualmente importante é o trabalho voluntário. «Estamos a precisar bastante de voluntários. Esta é uma forma de ajudar, que apenas custa a dedicaçãod e algum tempo», ilustrou Eduardo Almeida.

Comentários

pub
pub