Download de criatividade na zona ribeirinha do Museu de Portimão

Música na rua, instalação vídeo, bebidas. É com estes três ingredientes que esta noite, a partir das 21h00, começa o […]

Música na rua, instalação vídeo, bebidas. É com estes três ingredientes que esta noite, a partir das 21h00, começa o projeto Download 2013, na zona ribeirinha frente ao Museu de Portimão, junto à grua.

Durante três noites, de hoje até sábado, o Download será feito neste local, para depois, em agosto, ao longo de outras três noites, rumar a um espaço diferente da cidade. Este é o terceiro ano do evento, embora seja a primeira vez que é itinerante dentro do concelho de Portimão.

Segundo os seus promotores, a Download Associação Cultura, o projeto Download 2013 «vira-se para uma questão muito pertinente na cidade de Portimão: o afastamento entre os cidadãos e o espaço público».

«O Museu de Portimão e o Guindaste, na frente ribeirinha junto à Associação Naval, são dos marcos físicos mais importantes da presença da indústria conserveira e piscatória que marcou e definiu culturalmente a sociedade de Portimão durante a 1ª metade do século XX. Estes são espaços de memória e de origem para a cidade, mas o que o representa o espaço público hoje?», interrogam.

«A rua simboliza a independência e liberdade», e o projeto «pretende oferecer de forma ativa e gratuita uma programação baseada na promoção de artistas da região e do país, numa tentativa de fomentar a multidisciplinariedade e troca entre esses agentes de produção musical e artística», acrescentam.

«Download significa essa plataforma de descarga de mistura e criatividade entre os artistas e o público».

Por isso, «num ano em que se questiona a independência (financeira) de Portugal e dos seus cidadãos, questionar o espaço público é também questionar o papel do cidadão nas cidades portuguesas. Cidades com vários problemas, com vivências altamente transformadas nos últimos 30 anos. É necessário voltar para os espaços de memória e voltar a pensar como estes são de todos, são públicos, devem ser vividos, incluídos na vida dos habitantes de uma cidade, de maneira diferente mas em continuidade através da criação artística e musical. Focar que a participação é um direito indispensável dos cidadãos mas também um dever pois só através dos seus habitantes poderá uma cidade ter vida. Redefinir a população e o espaço com o que se cria hoje. Exercer a liberdade de usufruir da cidade, de ocupar a rua com música e de nos reunirmos num exercício de troca».

Durante estes três dias, os timoneiros serão João Branco e TFS, que apresentam uma seleção musical variada e inspirada, seguida de um poderoso dj set por TFS. Amanhã, sexta-feira, dia 26, será a vez do Zé Vieira Quarteto, que oferecerá uma noite de jazz em frente ao rio, com a Lua cheia por companheira.

E finalmente no sábado, a música estará a cardo de Vasco Fortes, Theodoro e Roundhouse Kick; numa viagem com destino a Marte, o planeta vermelho.

A entrada é livre e o bar da associação, para as tais bebidas, tem descontos para sócios da Download.

Comentários

pub
pub