Cineclube de Faro traz ao Algarve «ciclo único» organizado por grupos de teatro históricos

O Cineclube de Faro vai trazer a Faro, amanhã e sábado, «um ciclo único organizado pelo Teatro da Cornucópia e […]

O Cineclube de Faro vai trazer a Faro, amanhã e sábado, «um ciclo único organizado pelo Teatro da Cornucópia e pelo Grupo Zero», por ocasião do 57º aniversário da associação, que será «uma oportunidade raríssima de poder ver filmes realizados por Solveig Nordlund e sobre peças de teatro levadas à cena pelo Teatro da Cornucópia».

As iniciativas deste ciclo «que terá edições em várias localidades do país» são gratuitas e decorrerão na delegação de Faro do Instituto Português do Desporto e Juventude (IPDJ). Chegou a estar agendada uma sessão para o bar «Os Artistas», mas foi transferida e antecipada em uma hora.

«Entre os anos de 1975 e 1983, duas estruturas partilhavam as mesmas instalações no Teatro do Bairro Alto (Lisboa). O Teatro da Cornucópia que se mantém como companhia residente desse mesmo teatro desde 1975 até à presente data, e o Grupo Zero, cooperativa fundada pós-25 de Abril de 1974», revellu o Cineclube de Faro.

«Durante este período de grande actividade, e com apoio da RTP, foram transpostos para a tela, três textos dramáticos escritos por F.X.Kroetz, e vários textos curtos escritos por Karl Valentin», acrescentou.

A transposição destes textos resultou num tríptico realizado por Solveig Nordlund (Viagem para a Felicidade/78; Música para Si/78; Novas Perspectivas/83), filmes que poderão ser vistos no IPDJ amanhã.

Às 18h30 o auditório do IPDJ de Faro recebe o filme «Novas Perspectivas». A partir das 21h30, já no primeiro andar da mesma sede regional deste instituto, serão exibidos de seguida os filmes «Viagem para a Felicidade» e «Música para Si».

Além deste tríptico, a colaboração entre as duas estruturas culturais lisboetas resultou «numa série de 5 episódios assinados em conjunto com Jorge Silva Melo no filme de 1979 a partir de textos do alemão Karl Valentin – E Não Se Pode Exterminá-lo? – obra que havia estreado a 24 de Março desse mesmo ano pelo Teatro da Cornucópia».

«Nele vemos a histórica e maravilhosa levada à cena das curtas peças de Karl Valentin, com encenação do mesmo Jorge Silva Melo e dedicado ao coletivo do Contraponto e ao coletivo do Diário Popular. É um filme que repega no espetáculo da Cornucópia (1979) mas que não é exatamente uma mera filmagem do espetáculo», descreveu a asosciação farense.

«E não se Pode Exterminá-lo?» é exibido no sábado, às 21h30, no IPDJ, logo a seguir ao jantar de aniversário do Cineclube de Faro, que vai decorrer no restaurante «Tá-se Bem», na capital algarvia, às 19h30. Quem quiser juntar-se à associação nesta celebração (cujo custo máximo será 15 euros por pessoa) deverá inscrever-se através do email cineclubefaro@gmail.com.

Comentários

pub
pub