Farense continua a mobilizar milhares mesmo na II Divisão

Ver cinco mil pessoas num estádio para assistir a uma partida de Futebol não é algo comum na I Liga […]

Ver cinco mil pessoas num estádio para assistir a uma partida de Futebol não é algo comum na I Liga e mesmo muito difícil de acontecer fora de meia dúzia de estádios ou em jogos que não envolvam um dos três grandes.

Mas, em Faro, começa a ser habitual ver casas com milhares de pessoas para assistir a jogos da II Divisão, muito por culpa do bom campeonato que o Farense está realizar.

A campanha tem sido boa e hoje, domingo, compensou mais que nunca. O Farense assumiu a liderança do campeonato este domingo, depois de ganhar ao Ribeira Brava na Madeira e ver o anterior líder, o Mafra, a escorregar em Fátima, cedendo um empate.

Desta forma, o Farense fica a depender apenas de si a uma jornada do final e se ganhar no próximo domingo, no Estádio de São Luís, volta a disputar um campeonato profissional. Para ajudar, a direção espera nova casa cheia.

O presidente do Farense António Barão foi o convidado do programa radiofónico «Impressões» desta semana, entrevista que é dinamizada em conjunto pelo Sul Informação e pela Rádio Universitária do Algarve RUA FM.

António Barão no programa radiofónico «Impressões»

Na altura, já se mostrava confiante no desfecho positivo desta jornada, mostrando-se convicto que o líder iria escorregar e o Farense ia conseguir aproveitar da melhor forma. Quem também acreditou foram «os perto de 80 adeptos» que acompanharam a equipa na deslocação à Madeira.

António Barão não poupou elogios à claque do clube, os South Side Boys, que até chegaram a ser seus adversários nas urnas, quando se candidatou pela primeira vez à direção do Farense. Os jovens da claque foram mesmo fundamentais para a recuperação do Farense, defendeu.

«Não nos podemos esquecer que também foram eles os obreiros para que o clube não tivesse acabado. Nunca desistiram, estiveram sempre à frente para que o clube se mantivesse vivo. Ainda me recordo das frases que espalharam por Faro [És de Faro, És Farense]», ilustrou.

Quando falta uma jornada para o final e estando o Farense em posição de garantir a promoção, sem depender de outros, é legítimo esperar que a casa vai estar cheia. Para mais tendo em conta o que se tem vindo a passar.

Crianças aproveitam o Intervalo para brincar no relvado do São Luís

«Ainda na semana passada, o Estádio estava cheio. E estamos a falar de um jogo com o Casa Pia. Sinto-me cada vez mais orgulhoso por sentir o retorno das massas. Tem havido uma grande adesão, o que até tem sido uma surpresa para mim», disse.

Algo que impressiona quem vai a um jogo do Farense em casa, por estes dias, para além da capacidade de mobilização, é «a quantidade de mulheres e crianças que assistem aos jogos».

«Quando vejo o Estádio cheio, crianças de dois anos que já levam a bola na mão para poderem jogar um bocado no terreno de jogo ao intervalo, com muitas mães, é sinal que o clube tem muita vida e um futuro muito grande», disse António Barão.

Comentários

pub
pub