Forças de segurança anunciam serviços inéditos a pensar na época alta do Turismo

Seis unidades especiais da GNR de apoio a turistas de nacionalidade estrangeira, o uso de tecnologia inteligente por parte da […]

Seis unidades especiais da GNR de apoio a turistas de nacionalidade estrangeira, o uso de tecnologia inteligente por parte da PSP para combater a criminalidade e um reforço sazonal do controlo das fronteiras marítimas, terrestre e aérea, pelo Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF) foram algumas das novidades que as forças de segurança apresentaram numa reunião que juntou forças policiais, empresários e decisores da região com membros do Governo, em Faro.

O encontro, a que os jornalistas não puderam assistir, serviu para preparar o reforço de segurança no verão. Algumas horas após o final da reunião, a Entidade Regional de Turismo do Algarve, cuja sede acolheu a reunião, anunciou numa nota de imprensa que foram ali avançadas algumas novidades para a época alta que se aproxima.

«Entre as novidades apresentadas pelo comando nacional da Guarda Nacional Republicana (GNR) para o verão de 2013 estão seis unidades «Tourist Support Patrol» (TSP), criadas para apoiar os turistas nas zonas mais movimentadas do destino. Todos os militares das TSP têm conhecimentos de línguas estrangeiras», revelou o Turismo do Algarve.

«O projeto «Algarve – destino seguro» da Polícia de Segurança Pública (PSP) será outra das novidades a apresentar no mês de Abril pela direção nacional desta força de segurança. Trata-se da aplicação ao turismo de um modelo de segurança just-in-time assente em tecnologia inteligente, como é o caso da videovigilância, que entretanto ganhou novo enquadramento legal», acrescentou a ERTA.

No que toca ao reforço do controlo nas fronteiras, será sentido «sobretudo nos meses de julho e agosto».

Estas novidades antecedem o anúncio dos meios que serão destacados para o Algarve no habitual reforço de verão. O ministro da Administração Interna Miguel Macedo, que esteve na reunião em Faro, prometeu novidades para daqui «a duas ou três semanas».

Comentários

pub
pub