Funcionários de lojas ardidas no Retail Park de Portimão recebem cartas de despedimento

Alguns dos trabalhadores que trabalhavam no Retail Park de Portimão já começaram a receber cartas de despedimento, apesar das promessas […]

Alguns dos trabalhadores que trabalhavam no Retail Park de Portimão já começaram a receber cartas de despedimento, apesar das promessas feitas pelas empresas proprietárias das lojas destruídas pelo fogo há uma semana.

Neste momento, serão cerca de dez os trabalhadores nesta situação, mas a dirigente regional do Sindicato dos Trabalhadores Comércio, Escritórios e Serviços de Portugal (CESP) Maria José Madeira teme que se possa estender a todos os contratados a prazo.

Além de «quatro a seis» empregadas da limpeza, que trabalhavam para uma empresa que prestava serviço ao Continente, também já receberam cartas de rescisão «quatro trabalhadores do Aki», revelou ao Sul Informação a sindicalista.

No caso das empregadas de limpeza, chegaram a ser «transferidas para o Continente de Portimão», mas a empresa Servilimpa, para a qual trabalham, terá entretanto enviado cartas de despedimento a estas trabalhadoras. No Aki, as cartas foram enviadas a funcionários «com contratos de três e seis meses», revelou Maria José Madeira.

«No que toca a trabalhadores com contrato a termo certo, tememos que aconteça o mesmo a todos», lamentou. «Ainda hoje falámos com a administração do Retail Park e nem eles têm dados para dar. Esta é uma situação que vai demorar algum tempo a ser resolvida», adiantou.

Uma vez que o processo de peritagem e eventual acionamento de seguros se adivinha moroso, Maria José Madeira diz não saber se as sete superfícies afetadas «quererão custear as despesas extra, com a deslocação» dos trabalhadores para outras unidades dos grupos no Algarve.

Uma situação contra a qual promete lutar, até porque, recordou, «trata-se de grandes grupos económicos, que conseguem absorver estes trabalhadores ou criar postos de trabalhos para eles, nem que sejam temporários», disse.

Na madrugada do passado dia 23 de setembro, um incêndio destruiu completamente as lojas do Continente, Rádio Popular, Decathlon, Staples, De Borla, Aki e Moviflor, do Retail Park de Portimão. A fúria das chamas apenas poupou a oficina Feu Vert, a zona de restauração e o posto de combustível ali existente, todos eles em edifícios à parte do complexo principal, onde se encontravam as sete lojas que arderam.

Comentários

pub
pub