Projeto pioneiro de mobilidade sustentável arranca no Algarve

O Algarve é a única região de Portugal que participa num projeto da União Europeia que tem como objetivo a […]

O Algarve é a única região de Portugal que participa num projeto da União Europeia que tem como objetivo a promoção da mobilidade sustentável e do veículo elétrico.

A Areal – Agência Regional de Energia e Ambiente do Algarve é o único parceiro português deste projeto que envolve ainda 14 entidades de países como Espanha, Itália, Letónia, Polónia, Bulgária, França, Suécia e Reino Unido.

«O Algarve tem todas as condições para ser uma região piloto na utilização de veículos elétricos», diz José Oliveira, diretor da AREAL, entidade parceira do projeto europeu Sum (Sustainable Urban Mobility).

José Oliveira considera que a proximidade entre as cidades algarvias, a pequena dimensão destas urbes e a alta incidência de moradias como tipologia dominante de habitação constituem factores de excelência para que o Algarve aposte nos veículos elétricos.

Segundo este especialista, a própria actividade turística teria um papel potenciador na afirmação da imagem do Algarve, a nível internacional, como uma região com preocupações ambientais. «A região algarvia poderia promover-se, a nível internacional, como uma região amiga da mobilidade sustentável, através da utilização de veículos elétricos no transporte dos turistas, para os hotéis, campos de golfe, visitas guiadas, etc».

O enorme potencial que o Algarve apresenta para a adoção de uma mobilidade elétrica pesou na seleção da região para fazer parte do projeto SUM, financiado pelo programa INTERREG IV C.

O projeto estabelece como meta a partilha de experiências e identificação de boas práticas no que diz respeito à mobilidade urbana sustentável, que abrange medidas como a criação de parquímetros, construção de ciclovias, utilização de veículos elétricos, partilha de bicicletas, incorporação de biodiesel nas frotas municipais, entre outras práticas.

O projeto vai decorrer até 2014 e encontra-se na fase inicial que consiste no diagnóstico da situação actual nos 16 municípios algarvios.

No caso especifíco da mobilidade elétrica, o diretor da AREAL não tem dúvidas de que é preciso capitalizar o que já se fez e continuar a avançar: «Algumas cidades, como Faro, Albufeira e Portimão realizaram já investimentos na criação de pontos de carregamento dos veículos elétricos mas é preciso criar uma extensa rede que garanta a operacionalidade deste sistema».

Depois de feito o levantamento regional do que já existe em termos de boas práticas, os dados serão analisados e partilhados entre os 14 parceiros do projeto, dando origem a conjunto de sugestões e propostas.

Com base nestes estudos os concelhos algarvios poderão candidatar-se a financiamentos comunitários, que permitam concretizar acções de mobilidade sustentável. No caso dos veículos elétricos, tendo em conta o seu elevado custo, o projeto SUM poderá vir a revelar-se, a curto prazo, uma ferramenta extremamente útil para os municípios do Algarve.

Comentários

pub
pub