Miguel Martins dá workshop de jazz no LAC de Lagos

Um workshop de jazz, tendo Miguel Martins como formador, está marcado para o fim de semana de 21 e 22 […]

Um workshop de jazz, tendo Miguel Martins como formador, está marcado para o fim de semana de 21 e 22 de abril, no LAC – Laboratório de Atividades Criativas (antiga Cadeia de Lagos).

No dia 22, às 22h00, o LAC recebe um concerto com os alunos do workshop e o Miguel Martins Trio.

A oficina de trabalho, que vai decorrer das 11h30 às 13h30 e das 15h30 às 18h30, é aberta a todos os instrumentos.

As pré-inscrições estão a decorrer até dia 18 de abril, devendo ser feitas através do e-mail geral@lac.org.pt ou do telemóvel 96 745 13 83. As inscrições, que são limitadas, custam 25 euros para participantes e 15 para ouvintes.

Miguel Martins estudou guitarra com Riky Sabatés, Mário Delgado, Jonathan Kreisberg, Ben Monder, Phillipe Caterine, Nguyen Lê entre outros.

No campo pedagógico é licenciado em Educação Musical, em 2000/1 leciona a disciplina de guitarra na Escola de jazz do Barreiro, 2005/7 na Escola de jazz de Torres Vedras e na JBjazz em Lisboa.

Em 2006 realizou o workshop “Oficina Horta Jazz” nos Açores (Faial). Em Março de 2012, realizou um Workshop de guitarra em Sevilla. Participou como professor de guitarra e combo no workshop Lagosjazz2007.

No campo artístico, em 2004 nasce o seu projeto Miguel Martins “Kaleidoscópio”, com o contrabaixista Carlos Barretto e o finlandês Markku Ounaskari na bateria.

Em 2007, Miguel Martins “Kaleidoscópio” edita o seu primeiro álbum “The new comer”, lançado no LUX “Lisbon Jazz Sessions”, considerado um dos 10 melhores discos de jazz de 2007 pela crítica especializada.

O LAC – Laboratório de Atividades Criativas é uma associação cultural sem fins lucrativos formada em 1995 e com sede na Antiga Cadeia de Lagos.

O edifício projetado por Cottinelli Telmo e cujos alicerces estão edificados sobre um antigo convento, é um local com história fazendo parte integrante da cidade.

Construído com outros objetivos, revela atualmente uma dicotomia interessante entre prisão/ reclusão VS espaço de criatividade / liberdade; ao tornar-se espaço de criação reconverteu assim os moldes da sua existência, agora as celas são espaço de ateliê para artistas e a sua utilização e trabalho contribui para a revitalização do edifício, dotando-o de uma nova história.

A associação é um espaço de residências artísticas com 13 anos de existência que tem como prioridade desenvolver e alargar o PRALAC – Programa de Residências Artísticas no LAC, com o objectivo principal de dinamizar e promover a criação artística na região e especialmente na zona do Sudoeste Algarvio.

Comentários

pub