Castro Marim e Tavira recebem sessões de esclarecimento sobre programa «Estímulo 2012»

Apoiar a contratação de desempregados e aumentar a empregabilidade através da formação profissional é um dos objetivos do programa Estímulo […]

Apoiar a contratação de desempregados e aumentar a empregabilidade através da formação profissional é um dos objetivos do programa Estímulo 2012. Esta medida concretiza-se através da concessão de um estímulo financeiro às empresas que contratem desempregados.

Em tempos particularmente difíceis e tendo em conta a conjuntura atual económica, o programa já tem duas sessões de divulgação marcadas no Algarve, em Tavira, e em Castro Marim.

Neste último concelho, a Odiana em colaboração com o Instituto de Emprego e Formação Profissional (IEFP) de Vila Real de Santo António, vai levar a cabo uma sessão de esclarecimento e informação sobre a Medida de Emprego «Estímulo 2012», numa sessão marcada para hoje, sexta-feira, 9 de março, às 18h00, na Biblioteca Municipal de Castro Marim.

Conta com a presença de Álvaro Araújo, diretor do Centro de Emprego de VRSA, e de José Estevens, presidente da Odiana e da Câmara Municipal de Castro Marim.

Em Tavira, Decorre, a sessão está marcada para terça-feira, dia 13 de março, às 16h30, na Biblioteca Municipal Álvaro de Campos.

O «Estímulo 2012» é uma medida de emprego que tem por objetivo apoiar a contratação de desempregados e aumentar a sua empregabilidade através de formação profissional.

Está expressamente direcionada para os desempregados mais vulneráveis, nomeadamente os inscritos nos Centros de Emprego há pelo menos 6 meses.

Trata-se de um incentivo à criação de emprego que é dotado de um financiamento até 100 milhões de euros proveniente do Fundo Social Europeu no âmbito da Tipologia de Intervenção 5.1 –  Apoios ao Emprego – do Programa Operacional Potencial Humano, e do Orçamento de Estado.

O apoio financeiro a conceder às entidades empregadoras consiste num valor mensal correspondente a 50% da retribuição mensal paga ao desempregado contratado, com um limite de 419,22 euros, durante um período máximo de seis meses.

A percentagem sobe para 60% no caso de ser celebrado contrato de trabalho sem termo ou de serem contratados desempregados com maiores dificuldades de reentrada no mercado de trabalho, nomeadamente, inscritos no Centro de Emprego há pelo menos doze menos consecutivos, beneficiários de Rendimento Social de Inserção ou mulheres com um nível de habilitação inferior ao 3º Ciclo do ensino básico.

A medida tem por destinatários todas as empresas e entidades privadas com ou sem fins lucrativos. A meta é o combate ao desemprego.

A sessão de hoje é gratuita mas não dispensa a confirmação, até dia 9 de Março às 13h, para os seguintes contactos: Associação ODIANA: 281531171; e-mails: geral@odiana.pt ou odiana.comunicacao@gmail.com .

Comentários

pub